Esplanada

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994 e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio, entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.


Governo diz já ter maioria para aprovar reforma no Senado

Davi Alcolumbre diz que texto deve ser aprovado em 45 dias

Em paralelo às conversas com deputados para concluir a aprovação em segundo turno da reforma da Previdência na Câmara, ministros da articulação política do Governo mapeiam o cenário de tramitação do texto no Senado.

Pela sondagem dos líderes aliados, feita durante o recesso parlamentar, o quadro negativo mudou e a reforma avançará na Casa. Na Comissão de Constituição e Justiça, primeira etapa de tramitação, governistas apostam em mais de 18 votos, do total de 27 do colegiado. No plenário, a projeção dos líderes também é otimista. Apostam em mais de 60 votos.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, tem dito que o Senado deve aprovar a reforma num prazo de 45 dias.

Alerta na PF

O contingenciamento do Governo atingiu em cheio a.. Polícia Federal. A verba para pagamento das diárias de deslocamento de policiais em missão está zerada.

No-show

A ordem na PF é para que toda viagem seja evitada. Aconteceu o mesmo nos Governos Dilma Rousseff e Michel Temer. E no meio da Lava Jato, la nave va…

Nota$

Pressionado pelo Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), o Senado passou a divulgar as notas fiscais apresentadas pelos senadores para justificar gastos da verba de gabinete. No entanto, só estão disponíveis, até o momento, notas relacionadas aos gastos dos últimos três meses e não há previsão de quando ou se os documentos anteriores serão tornados públicos.

Olho neles

Em maio, o Ministério Público, junto ao TCU, chegou a pedir apuração sobre a conduta do presidente do Senado de manter em sigilo notas fiscais com gastos de verba de gabinete e ainda permitir que os demais senadores fizessem o mesmo.

 

 

Dobradinha

Marcio França (PSB) articula com Jilmar Tatto (PT) para vice sua candidatura à prefeitura de São Paulo.

Que anistia?

A Coluna tem confirmação de que pelo menos um investidor que repatriou seus milhões na jogada de anistia da Receita Federal caiu nas mãos do Ministério Público.

Tanque Furado

O deputado federal Ronaldo Carletto (PP-BA) usou R$ 14,3 mil de dinheiro público para abastecer, ao menos 44 vezes, veículos da empresa de sua esposa, uma concessionária de motos em Eunápolis (BA). A descoberta da irregularidade foi feita pelo Instituto Operação Política Supervisionada.

Culpa da frota

O parlamentar informou que desconhece, mas que é possível “troca de notas” devido ao “grande número de veículos” que possui e garantiu que apuraria o caso.

Lupa no tanque

O Instituto Operação Política Supervisionada está auditando 700 notas fiscais de abastecimentos de veículos que foram apresentadas por 185 deputados federais à Câmara para ressarcimento. Já foram encontradas 16 irregularidades.

Eike

A CPI do BNDES na Câmara ouve na terça-feir o empresário Eike Batista. Autor do requerimento de convocação, o deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) afirma que o empresário tem conhecimento sobre contratos entre o BNDES e as empresas denominadas “campeãs nacionais”, entre elas o grupo EBX, criado pelo próprio Eike.