Esplanada

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994 e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio, entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.


Helicópteros Robinson: 42 mortes em 97 acidentes na década

Números assustadores colocam em xeque a eficiência e segurança do aparelho: Com a revelação da Coluna dos sucessivos acidentes com os helicópteros Robinson no Brasil a Aeronáutica contabiliza, desde 2003, 42 mortes em 97 acidentes

Números assustadores colocam em xeque a eficiência e segurança do aparelho: Com a revelação da Coluna dos sucessivos acidentes com os helicópteros Robinson no Brasil – os chamados ‘bolhas’ – a Aeronáutica contabiliza, desde 2003, 42 mortes em 97 acidentes com três tipos de modelos da fabricante no País.

Foram 41 ocorrências com 9 óbitos no modelo R22; 30 mortes em 53 registros com o R44; e 3 mortos em 3 acidentes com o R66. A fabricante informou que alguns acidentes são causados por imperícia ou imprudência dos pilotos.

Só neste ano foram seis mortes em três acidentes, dois com R22 e um com R44. Os modelos são muito usados para escola de pilotagem e por empresários e emissoras.

O R44 prefixo PT-YMF caiu em Tracuateua (PA) em fevereiro. É caso reincidente. O mesmo aparelho já caíra em 2007, causando três óbitos, foi reformado e vendido. Esta aeronave reconstruída operava na escola de pilotagem de um dos envolvidos no tráfico de 452 kg de cocaína em outro helicóptero Robinson, o da família Perrella.

A Robinson do Brasil informou que há mais de 500 aparelhos no País, e que muitas ocorrências são incidentes por imperícia, como ‘pouso brusco; colisão com obstáculo’.

QUANTOS VÃO ENTRAR?

Esta pode ser a mais restrita associação do Brasil. O vereador Jorge Bento, de Guaxupé (MG), e o advogado Paulo Fernando Melo (PSDB-DF) fundam em Poços de Caldas (MG) no sábado a Abrapofil – Associação Brasileira dos Políticos Ficha Limpa. O advogado assessorou o então deputado Miguel Martini. O deputado Martini presidiu a comissão especial que aprovou a criação da Lei da Ficha Limpa, há poucos anos. O parlamentar morreu em 2012, e será o homenageado como patrono da Abrapofil.

FRAUDE NA WEB

Um jovem com codinome Vinny Winchester postou na sua página no Facebook, e depois excluiu, a foto de celular do gabarito que marcou no concurso da Caixa domingo. É contra regra, pena de eliminação e até anulação de todo o concurso. A denúncia chegou à Coluna na segunda-feira à tarde, e desde então procuramos a Caixa e o Cespe – responsável pelo concurso – mas não houve resposta de nenhum.

SOLTANDO O VERBO

María Corina Machado, a deputada de oposição cassada pela Assembleia Nacional da Venezuela, chegou ao Brasil, conforme adiantou a Coluna, e foi convidada para audiência na Comissão de Relações Exteriores do Senado hoje, às 14h. Corina perdeu o mandato por decreto do presidente da Assembleia, Diosdado Cabello, e não por plenário. Ela teria violado regras parlamentares ao tentar discursar numa conferência da OEA, no Panamá, como representante da Assembleia sem autorização.

CADÊ A ESPUMA?!

O acidente com Fokker da Avianca em Brasília, sem trem de pouso dianteiro, lembra ocorrido em jatinho fretado por Anthony Garotinho em 2002, durante a campanha presidencial. O avião aterrissou de barriga em Viracopos (Campinas), mas não havia espuma na pista. ‘Cadê a espuma!?’ gritavam passageiros durante o sobrevoo. Tudo correu bem, a exemplo do recente incidente no Aeroporto JK. Especialistas em segurança de voo dizem que cada caso é um caso. Em alguns, é importante a espuma ser jogada na pista antes, para que o primeiro atrito evite faísca, fogo e explosão. Em outros, com ‘pouso mais controlado’, como no caso do Fokker, pode ser jogada logo depois do atrito, porque há risco de a espuma aumentar a velocidade do avião e jogá-lo para fora da pista.

OS INVESTIGADORES

A nata dos delegados da Polícia Federal estará reunida em Vitória (ES) e Vila Velha de hoje a sábado no VI Congresso Nacional da categoria. Autoridades federais e ministros das cortes superiores prestigiam. Os 700 delegados vão debater lei anticorrupção, questões ambientais, segurança na Copa, fronteiras etc, e vão elaborar documento.

LARICA NO AR..

O deputado Zequinha Marinho (PSC-PA) requereu (pedido 99/14) seminário para discutir os riscos sobre possível legalização da comercialização e consumo de maconha.

.. E SAÚDE À MESA

Já a deputada Janete Capiberibe (PSB/AP) requereu audiência (pedido 100/14) para realizar o 11º Seminário LGBT para debater DST/HIV/AIDS

PONTO FINAL

No mais, Não às ditaduras: nem militar, tampouco civil!

Loading...