Influência de Lucas Esmeraldino no governo repercute na Assembleia Legislativa

Reportagem exclusiva do nd+ revelou a capilaridade do poder do ex-candidato ao Senado e secretário de Estado no governo de Carlos Moisés (PSL)

A reportagem sobre a influência do secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Lucas Esmeraldino, no governo de Santa Catarina, publicada com exclusividade pelo nd+, repercutiu na Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina). A matéria revelou que o tio do secretário, Almir Esmeraldino, diretor-financeiro da SCPar Porto de São Francisco do Sul, amigos e conhecidos indicados para cargos públicos estão envolvidos em casos polêmicos.

Essas pessoas foram indicadas para funções na SCPar Porto de São Francisco do Sul e Aresc (Agência Reguladora de Serviços Públicos de Santa Catarina).

Durante a sessão ordinária, membros das bancadas do PSD e do PL criticaram novamente dispensas de licitações patrocinadas pela SCPar.

Lucas Esmeraldino (PSL) foi candidato ao senado – Foto: Reprodução/ND

“O presidente da SCPar era sócio de uma empresa do irmão do secretário do Desenvolvimento Econômico Sustentável e o diretor financeiro é tio do Lucas Esmeraldino, o mesmo que assinou uma dispensa de licitação de R$ 10 milhões”, afirmou Kennedy Nunes (PSD).

“Envolvimento neste tipo de negócio familiar com o governo, isso não pode ser permitido. Fazer de locais e pontos tão importantes para o Estado como portos, usar disto para beneficiar amigos e empresas, para fazer contratos milionários com dispensa de licitação, e depois quando denunciados, estes contratos terminam. Por que cancelaram? Não estava tudo certo?”, questionou.

Para o deputado Fabiano da Luz (PT), essas questões tornam muito delicado e muito frágil o poder do Estado, “que deveria ser muito mais forte, mais coeso, mais equilibrado e mais responsável em suas ações”.

“Como você vai colocar alguém, fiscalizar a empresa na qual você trabalha? Justamente foram esses os motivos, os argumentos. Falta de documentações. São muito tropeços”, disse.

“Família de Tubarão tomou conta do governo”

O deputado Ivan Naatz (PL) também falou sobre o assunto. “A família de Tubarão tomou conta do governo de Santa Catarina, o secretário Lucas está usando da influência para empregar a família, fazer negócios com o governo. Querem os portos porque têm dinheiro em caixa, a Secretaria da Saúde, os contratos emergenciais, é uma máfia que se instalou e que precisa ser imediatamente afastada”, declarou Naatz, que concordou com Kennedy: “Quem rejeita um contrato de R$ 10 milhões? Rejeitou porque era rolo, sacanagem, roubalheira, porque a Assembleia pegou”.

Leia também:

Em nota, o secretário Lucas Esmeraldino disse que não houve qualquer influência dele no governo do Estado. “As indicações para cargos comissionados sempre estiveram pautadas na livre escolha, mas, sobretudo, em critérios técnicos, na eficiência, na moralidade, na publicidade e no comprometimento com a gestão pública. Não há nada que desabone os negócios dos meus familiares”, escreveu.

+

Política