Moisés diz que quer estar com as contas em dia até 2021

Convidado do último encontro do Lide, governador apresentou os resultados do mandato, como o a taxa de desemprego em 6%, metade do índice nacional

O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) apresentou resultados de seu primeiro ano de mandato durante o último almoço-debate do Lide (Grupo de Líderes Empresariais) Santa Catarina deste ano, na tarde de ontem.

Palestrante desta edição do evento, ele compartilhou também as expectativas da administração estadual para os próximos anos de governo. “A gente vê Santa Catarina se destacando dos demais Estados brasileiros, com cerca de 6% de desemprego, metade dos 12% no Brasil. Os nossos dados de crescimento são muito melhores”, disse o governador.

Governador também enfatizou que quer captar novos financiamentos e investir em infraestrutura – Foto: Foto Flavio Tin/NDGovernador também enfatizou que quer captar novos financiamentos e investir em infraestrutura – Foto: Foto Flavio Tin/ND

Para o futuro, o objetivo do governador Carlos Moisés é equilibrar as contas do Estado, diminuir o déficit, para conseguir novos financiamentos e investir em infraestrutura. Assim, o governo espera atrair mais empreendedores para Santa Catarina.

“Quando chegamos ao Estado, diante de todas as incertezas, a gente encontrou desafios em várias áreas-chaves de Santa Catarina. Fazendo um balanço, as perspectivas são boas. Em 2021, esperamos estar com as finanças completamente saneadas. Quem sabe a gente consiga antecipar, esse é o nosso objetivo”, afirmou o governador.

Leia também:

Um dos temas discutidos na palestra foi a economia gerada pela reforma administrativa, sancionada em junho, e pela revisão de contratos com prestadoras de serviços e outros terceirizados, atividade que começou no início da atual gestão.

Segundo o governador, a reforma administrativa refletiu na redução de 2054 cargos comissionados e na extinção da secretaria de desenvolvimento regional. Já a revisão de contratos, gerou economias milionárias para o Estado. “Os contratos com oxigênio, por exemplo. No ano passado, o governo pagou R$ 24 milhões e este ano a gente pagou R$ 12 milhões pela mesma quantidade de produto. O governo despendia R$ 950 mil mensalmente para manter os contratos de telefonia, o que baixou para R$ 250 mil. São vários exemplo de contratos”, contou Moisés.

O governador destacou ainda a agilidade dada a alguns processos com a informatização, utilizando recursos como o pregão eletrônico.

Em meio a empresários, governador também falou da economia gerada pela reforma administrativa – Foto: Flavio Tin/NDEm meio a empresários, governador também falou da economia gerada pela reforma administrativa – Foto: Flavio Tin/ND

Encerramento com chave de ouro

O presidente do Lide SC, o empresário Wilfredo Gomes, destacou a importância de arrematar o calendário do grupo com a maior liderança de Santa Catarina. “Tivemos ao longo deste ano mais de 30 eventos memoráveis e agora estamos encerrando com chave de ouro. Ter a oportunidade de ouvir o governador Carlos Moisés no último almoço-debate fortalece e reforça o papel de networking que estamos desempenhando”, ressalta Wilfredo.

Após a palestra, Carlos Moisés participou de um debate e respondeu a perguntas da mesa diretiva e de convidados do evento. Além do governador, a mesa foi composta pelo presidente do Lide SC, Wilfredo Gomes; o chefe da Secretaria da Casa Civil de Santa Catarina, Douglas Borba; o presidente da Acaert (Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão) e do Grupo RIC SC, Marcello Corrêa Petrelli; o presidente da Portobello Grupo César Gomes Júnior, e o presidente da Fiesc (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina), Mario Cezar de Aguiar.

+

Política

Loading...