Novo secretário de Saúde de SC também é suspeito de atuar na compra de respiradores

Adjunto participou da compra dos respiradores; deputados estaduais pedem afastamento de André Motta Ribeiro do cargo

Um requerimento para afastar do cargo o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro foi aprovado pelos deputados estaduais nesta quarta-feira (20). Então adjunto de Helton de Souza Zeferino, Ribeiro teria participado ativamente da compra dos 200 respiradores pulmonares, no valor de R$ 33 milhões, com dispensa de licitação e pagamento antecipado. Dos 40 deputados; 29 votaram, sendo 26 votos sim e três abstenções.

André Motta Ribeiro assumiu após saída de Helton Zeferino – Foto: Foto: Doia Cercal / SecomAndré Motta Ribeiro assumiu após saída de Helton Zeferino – Foto: Foto: Doia Cercal / Secom

Conforme o ND publicou, um documento mostra que Ribeiro teria assinado comunicado interno endossando que os respiradores fossem comprados por meio de uma determinada importadora.

O documento foi apresentado no Legislativo pelo deputado Milton Hobus (PSD). “Soubemos pela própria imprensa que essa empresa só não fechou o contrato porque pediram R$ 3 milhões de propina”, disse Hobus.

A líder do governo, deputada Paulinha (PDT), sugeriu que o requerimento só fosse aprovado após o secretário ser ouvido na CPI dos Respiradores. “Contra fatos não há argumentos. A defesa do indefensável é injusta com o catarinense. As provas estão aí. Mas, o atual secretário é um médico e está capitaneando as discussões técnicas. Penso que deveria primeiro ser ouvido”, afirmou.

O requerimento nasceu na Comissão Especial de Acompanhamento dos Gastos Públicos e foi encaminhado para discussão em plenário na mesma quarta-feira, onde também foi aprovado. Cabe ao governador Carlos Moisés (PSL) aceitar, ou não, a sugestão.

Leia também

A compra é alvo de investigação do Ministério Público, do Tribunal de Contas e da Polícia Civil de Santa Catarina, e culminou na Operação Oxigênio.

+ Política