O brasileiro meio otimista, mais pessimista

Pesquisa realizada em 68 países confere o dobro da média mundial aos que consideram que 2016 será pior do que o ano passado em terras tupiniquim

Pesquisa do Ibope deu números ao que podemos verificar a cada esquina ou conversa informal: o brasileiro está menos otimista, 32% acreditam que 2016 será pior do que o ano passado, o dobro da média mundial (16%), embora 50% dos entrevistados acreditem que as coisa irão melhorar em solo tupiniquim. O levantamento, que revela o pessimismo latente, é uma publicação anual conhecida como Barômetro Global de Otimismo, feita pelo Ibope em parceria com o Worldwide Independent Network of Market Research, que compara o pensamento de cidadãos de 68 países.

O que chama a atenção é que os fatores que levam ao pessimismo nosso de cada dia não referem-se à situação política, mas à consequência no bolso. A perda de poder aquisitivo é coletiva, porém justamente a da classe C que virou B, mobilidade social garganteada nos governos do PT, fez os números oscilarem contra o governo de Dilma Rousseff.

De qualquer modo, independentemente do que pensam os entrevistados, fazer a parte que cabe a cada um de nós é o melhor referencial na mudança do futuro. É só lembrar que os pessimistas morrem mais cedo, anos e décadas antes que se confirme a parada cardiorespiratória dos seus corpos. E toda a evolução humana deu-se pelas mãos e obra dos otimistas, mesmo que eles sejam poucos ou só metade de um grande país.

AMARO LÚCIO DA SILVA/DIVULGAÇÃO/ND

Esperidião Amin e Joares Ponticelli (D), coordenam a reunião do PP que definiu as estratégias em aum ano eleitoral

RUMO AO OESTE E AO NORTE

Reunião da executiva estadual do PP definiu o roteiro dos seminários regionais do projeto Construindo o Futuro – Confiança Santa Catarina. Os dois primeiros serão, mês que vem, em Fraiburgo, no Alto Vale do Rio do Peixe, e em Joinville, no Norte catarinense. Sob o comando do deputado federal Esperidião Amin e do vice, o ex-deputado Joares Ponticelli, ambos à direita, e sob o olhar atento do advogado Gley Sagaz e do ex-deputado e ex-conselheiro Otávio Gilson dos Santos (ao centro), e do histórico Aldo Rosa (à direita), também foi acertado que o primeiro roteiro de visitas a municípios será na região Oeste. É a eleição municipal mobilizando os pepistas.

“É lamentável, uma mentira deslavada que foi jogada na cidade para criar problemas à população.”

Márcio Búrigo, prefeito de Criciúma (PP), sobre a notícia inverídica de que Clésio Salvaro (PSDB), eleito em 2012 e enquadrado na Lei da Ficha Limpa, retornaria ao comando do município.

Recursos 1

Ainda impactado pela falsa informação de que o seu antecessor Clésio Salvaro (PSDB) retornaria à prefeitura pelas mãos do Supremo Tribunal Federal, o prefeito Márcio Búrigo (PP), de Criciúma, passou pelo Centro Administrativo, nesta segunda, para, segundo ele, tocar a sua missão de administrador público. Foi recebido pelo vice-governador Eduardo Pinho Moreira, ex-prefeito da maior cidade do Sul, um dos muitos interessados em ver o tucano Clésio longe do paço municipal.  

Recursos 2

Acompanhado pelo presidente do Criciúma Esporte Clube, Jaime Dalfarra, o prefeito Márcio Búrigo pediu apoio político ao governo para que a Caixa Econômica Federal passe a estampar o patrocínio na camisa do Tigre, já que o banco estatal já é o responsável pela conta dos servidores municipais. Búrigo também recebeu o sinal verde de Pinho Moreira para as obras no entorno das obras do Shopping das Nações, na SC-445, entre Içara e Criciúma, R$ 3,8 milhões  para a mobilidade urbana, falta definir de que fundo do governo sairão os recursos.

CHRIS PINHEIRO/DIVULGAÇÃO/ND

Paulinho da Força (aos microfones) e Osvaldo Mafra (E), em Itajaí, pregação contra a mentira na política e apoio à candidatura

O DESAFIO DO SOLIDARIEDADE

Presidente nacional do Solidariedade, o deputado Paulo Pereira da Silva (SP), o Paulinho da Força, ao microfone, passou por Itajaí e garantiu apoio ao projeto do presidente estadual, o vereador Osvaldo Mafra, disputar a prefeitura da cidade portuária. Mas foi no discurso, muito além das críticas ao governo de Dilma Rousseff e do PT, pauta permanente do parlamentar, que Paulinho deu o maior recado aos filiados da sigla: “É melhor você perder a eleição, do que mentir para o cidadão, converse com ele, sugira o que você pode tentar fazer em determinadas questões, mas não minta para ganhar votos, não é este tipo de candidato que queremos no partido”. 

Loading...