Altair Magagnin

altair.magagnin@ndmais.com.br Não é só sobre política. É sobre o impacto das decisões públicas na tua vida. Jornalista profissional com experiência multimídia, acompanha os bastidores do poder e traz análises e notícias exclusivas. Siga @altamagagnin nas redes.


Os três momentos importantes da política catarinense no primeiro semestre do Legislativo

Ao final deste primeiro semestre, é possível fazer um balanço das atividades. Nesta quarta-feira (17), inclusive, aconteceu um dos três momentos mais importantes durante esse período. Foi a votação dos projetos de lei que tratam dos incentivos fiscais concedidos pelo governo do Estado para empresas instaladas em Santa Catarina. Os projetos foram aprovados, por unanimidade.

Último dia da Assembleia – Fábio Queiroz/Agência AL/NDÚltimo dia da Assembleia – Fábio Queiroz/Agência AL/ND

Antes, as outras votações importantes foram da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) e da reforma administrativa. Em cada uma delas, houve uma estratégia diferente por parte do governo e dos deputados. Exatamente aquilo que nós prevíamos lá no começo do ano, que as discussões seriam caso a caso.

Sobre a reforma administrativa, mesmo com uma série de emendas, prevaleceu o modelo de Estado estabelecido pelo Executivo. O resultado foi construído por meio do diálogo. O placar, também por ampla maioria, surgiu de uma espécie de consenso de que era direito do governo organizar o Estado aos seus moldes.

Depois veio a votação da LDO, e uma derrota importante para o governo, que queria reduzir o percentual de dinheiro destinado aos poderes, o chamado duodécimo. No atropelo, sem muita abertura para conversa, o Executivo experimentou o maior revés até aqui. Já na votação desta quarta, dos incentivos fiscais, o governo entendeu que precisa dialogar mais. Assim o fez.

Mas, só conversa não adiantou. Resolveu abrir o cofre e pagar as emendas definidas pelos parlamentares para o Orçamento deste ano.

Avaliando o papel da Assembleia, diante de um governo inexperiente, os atuais deputados estão exercendo um protagonismo maior, ajudando a construir soluções para o Estado.

Loading...