Paulo Bauer assume cargo no governo Jair Bolsonaro com prioridade definida

Ex-senador será secretário especial da Casa Civil para o Senado, fazendo a interlocução entre governo e senadores

Paulo Bauer será o interlocutor entre governo federal e senadores em Brasília. Foto: Marco Santiago/NDPaulo Bauer será o interlocutor entre governo federal e senadores em Brasília. Foto: Marco Santiago/ND

Após oito anos no Senado Federal, o catarinense Paulo Bauer foi confirmado nesta segunda-feira (18) como secretário especial da Casa Civil para o Senado do governo Jair Bolsonaro. Com a função de fazer a interlocução entre senadores e o governo federal, Bauer já tem uma prioridade para trabalhar nos próximos meses: a reforma da Previdência.

Em visita à direção da Ric Record nesta segunda-feira (18), Bauer não confirmou a data da posse, mas informou que deverá acontecer na quinta (21) ou na sexta-feira (22). Se depender do catarinense, não haverá cerimônia, e sim uma solenidade informal, se possível com direito a uma foto com o presidente Jair Bolsonaro. O ex-senador garante que está alinhado com a filosofia do governo federal. “O governo Bolsonaro tem uma linha de procedimento e de conduta. Ele não admite aquela forma antiga de construir base política no Congresso a partir da concessão ou entrega de órgão e cargos públicos para os partidos”, explica.

Bauer será o terceiro tucano a ocupar um cargo no governo federal, depois de Julio Semeghini, nomeado como secretário executivo do MCTIC (Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações), e Rogério Marinho, secretário especial da Previdência. “Nenhum dos três está lá por causa do partido. Estou lá para atender ao presidente e vou ter que me enquadrar. Antes eu era um senador, representante da sociedade e falava o que a sociedade queria. Agora, eu sou um membro do Executivo e tenho que me subordinar às palavras do chefe do Executivo”, afirma.

Diante do alinhamento, Bauer sabe que a prioridade número um do governo Jair Bolsonaro é realizar a reforma da Previdência.  “A prioridade é essa e também conseguir fazer com que todo o mundo político compreenda essa nova forma de fazer: apresentar as propostas ao Congresso, de acordo com a vontade da população, e buscar o apoio dos congressistas pelo fato de elas trazerem resultados positivos para o país”, justifica.

O catarinense entra no governo federal em um momento delicado, provocado pelas denúncias contra o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gustavo Bebbiano. Para Bauer, a crise será superada. “Problemas no governo sempre irão existir, só que eles precisam ser solucionados. O presidente da República e seus ministros mais próximos vão dar atenção a esses assuntos e tomar providências. Num curto prazo, teremos esse episódio superado e o governo continuará avançando no cumprimento dos compromissos que tem com a sociedade e a população”, avisa.

Em relação ao governo do Estado, Bauer acredita ser “temerário” avaliar a atual administração diante da falta de informações, mas estará à disposição para contribuir e ajudar Santa Catarina.  “Eu prefiro aguardar um pouco mais de tempo até que o governador (Carlos Moisés) tenha feito um trabalho de domínio da administração pública. Estou à disposição do governo e de Santa Catarina para atender às necessidades as quais posso ser útil”, completa.

+

Política

Loading...