Paulo Alceu

Análises qualificadas e comentários assertivos acerca dos assuntos mais relevantes para os catarinenses.


Prepotência derrotada

Foi confirmada pelo Tribunal Regional do Trabalho a sentença que condenou o banco Santander a indenizar com R$ 450 mil, por danos morais, a ex-funcionária Sinara Figueiredo, demitida a pedido do ex-presidente Lula

Foi confirmada pelo Tribunal Regional do Trabalho a sentença que condenou o banco Santander a indenizar com R$ 450 mil, por danos morais, a ex-funcionária Sinara Figueiredo, demitida a pedido do ex-presidente Lula. A decisão dos magistrados deixou claro que não há como inocentar a direção do banco. Em julho de 2014, o setor comandado por Sinara elaborou um documento entregue a correntistas registrando que a economia brasileira estava apresentando baixo crescimento, com inflação em elevação e déficit em conta corrente. Ou seja, fazia um diagnóstico sombrio sobre a economia no comando do PT de Dilma Rousseff. Lula disparou todos seus torpedos contra essas informações e crucificou a analista do Santander, revelando aproximação com o dono do banco. Em discurso chegou a dizer que “manter uma mulher dessas num cargo de chefia é, sinceramente… Pode mandar ela embora e dar o bônus para mim…” Dirigia-se ao banqueiro espanhol  Emilio Botín, que morreu antes de Dilma reassumir o cargo. Essas foram as palavras do ex-presidente. Segundo a juíza do Trabalho, em sua primorosa sentença, o banco prejudicou a carreira de Sinara Figueiredo e foi submisso a forças políticas voltadas exclusivamente a interesses eleitorais. Atualmente Lula está disparando ações judiciais na busca de retrações quando se sente atingido pela verdade. A funcionária do Santander que ele, ex-líder sindical, defensor da classe trabalhadora, ajudou a demitir, conseguiu recuperar sua honra e respeito, pois em seus relatos não havia nada além de constatações de analistas financeiros e que se confirmaram como verdades absolutas. Ela, a funcionária, foi verdadeira, enquanto isso….

Ônibus

Rosane Lima/ND

Pois é, Blumenau, que produziu um fato inédito, ficando seis dias sem transporte coletivo, deverá ter até outubro deste ano, se tudo correr normalmente, um novo consórcio mantendo a política de não conceder subsídios às passagens. “A tarifa não pode cobrir a ineficiência do setor privado”, deixou bem claro o prefeito Napoleão Bernardes, que ontem esteve no Grupo RIC conversando com jornalistas. Bernardes, também, pretende sugerir aos colegas da região a criação de uma agência reguladora para o transporte coletivo, que segundo ele, não permitirá a interferência política e muitas vezes demagógica no setor, atendendo exclusivamente o usuário.

Consciente

Embora reconheça que há um desgaste junto à classe política, o prefeito de Blumenau Napoleão Bernardes aposta nas realizações de sua administração como estratégia para a reeleição. Vislumbra como adversários o PMDB, PSD e PT, com a família Lima.

Parcelado

Dos R$ 12 milhões que a Prefeitura da Capital devia para o Consórcio Fênix, que opera o transporte coletivo no município, foram pagos R$ 3 milhões nesta semana. A intenção é quitar esta fatura nas próximas semanas. Vai depender da entrada do IPTU.

Conversando

Os vereadores Cesar Faria e Badeko estavam ontem almoçando no restaurante do hotel Majestic. Faria continua afastado da Câmara e Badeko, por força de uma liminar, voltou a atuar. Os dois estão envolvidos na Operação Ave de Rapina. O assunto deve ter girando em torno da denúncia, que deverá ser apresentada pelo Ministério Público em breve.

CARIMBO

De repente, para manter a unidade na escolha do comando da Assembleia, embora ainda distante, evitando disputas, que não ocorrem há anos, o mandato do novo presidente tem tudo para ser dividido. Resta saber se o PMDB já foi comunicado…

Valendo

É só acessar o site da Prefeitura de Florianópolis (www.pmf.sc.gov.br) para imprimir o boleto e efetuar o pagamento do IPTU, que em cota única, com desconto de 20%, vai até o dia 8 de março. Os carnês começam a ser entregues logo após o Carnaval, mas pelos atrasos constantes dos Correios, que perderam a eficiência, é bom apostar no site.

Regularização

Divulgação

O deputado Valdir Colatto, que esteve com a ministra do Meio Ambiente Izabella Teixeira, destacou que restam três meses para que os proprietários de terra inscrevam seus imóveis no CAR (Cadastro Ambiental Rural). O prazo termina no próximo dia 5 de maio. O novo Código Florestal Brasileiro prevê que após cinco anos de sua publicação, em 28 de maio de 2017, as instituições financeiras não poderão conceder crédito para os agricultores que não tiverem o cadastro regularizado. Em Santa Catarina, quase 200 mil imóveis já estão cadastrados, o que corresponde a pouco mais de 66% da área passível de cadastro.

Combate

Nesta sexta-feira será apresentado pelo governo do Estado o aplicativo DengueSC. Trata-se de um app interativo, desenvolvido pelo Ciasc, para ajudar no combate ao mosquito transmissor da dengue. É inédito no país e estará disponível, sem custos, nos sistemas Android e depois do Carnaval em iOS. É uma maneira eficiente e rápida da população denunciar eventuais criadouros do mosquito, enviando fotos e a localização por geoprocessamento. Uma evolução em nome da erradicação do mosquito.

Adesão

Ocorre hoje pela manhã, na Assembleia, promovido pela Comissão de Direitos Humanos, um evento para tratar da inclusão de Santa Catarina no Sistema Nacional de Combate à Tortura. Nosso Estado é um dos poucos que ainda não aderiu ao programa que foi criado por lei federal em 2013. “Queremos que o governo do Estado envie projeto criando a legislação específica para aderir ao sistema e os mecanismos necessários. São muitas as denúncias de violações de direitos  que não encontram amparo legal para uma efetiva investigação…”, expôs o deputado petista Dirceu Dresch, que preside a comissão.

Complicado

Ficar sem energia elétrica não é nada agradável. Por mais que as razões sejam procedentes. O limite de tolerância é mínimo. E a Celesc sabe disso, tanto que o desempenho da estatal melhorou no mês de janeiro comparado aos últimos dois anos. Houve uma redução de 40% no tempo em que os consumidores ficaram sem energia. Dados da empresa confirmam também que na Grande Florianópolis o atendimento foi aperfeiçoado com melhoria de 35% no tempo de espera dos consumidores para o restabelecimento da energia no mês passado. É um avanço importante, mas disputando com o desconforto da falta de energia onde cinco minutos, muitas vezes, se transformam em uma hora na ansiedade do cidadão. Mas não se pode negar que vem havendo progressos consistentes.

Loading...