Primeiros depoimentos da CPI dos Respiradores acontecem nesta quinta

Na terça-feira, (12), foi realizada a primeira reunião para definir o cronograma de trabalho da comissão que deve atuar no caso durante 60 dias

A primeira reunião da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina), que vai apurar a compra e o pagamento antecipado de 200 respiradores mecânicos pelo governo do Estado foi realizada nesta terça-feira, (12).

Além de organizar o cronograma do trabalho da comissão, que deve ocorrer durante 60 dias, os membros da CPI discutiram o pedido de profissionais para a equipe, como delegados e técnicos do TCE (Tribunal de Contas do Estado). Entre outras demandas, os primeiros depoimentos sobre o processo dos respiradores foram agendados para a quinta-feira, (14).

Trabalho da imprensa foi ressaltado na abertura da CPI dos Respiradores – Foto: Bruno Collaço/Agência AL/Divulgação//NDTrabalho da imprensa foi ressaltado na abertura da CPI dos Respiradores – Foto: Bruno Collaço/Agência AL/Divulgação//ND

Na sessão da CPI serão ouvidas, a partir das 10h, cinco pessoas:  Karin Sabrina Duarte, diretora de gestão de licitação de contratos da Secretaria de Estado da Administração; Leandro Adriano de Barros, ex-secretário de Saúde de Biguaçu, advogado e pessoa de confiança do ex-secretário de Estado da Casa Civil Douglas Borba; Mariana Rabelo Petry, advogada em Biguaçu; Mateus Hoffmann, ex-secretário-adjunto da Casa Civil; e o coronel PM João Batista Cordeiro Júnior, chefe da Defesa Civil do Estado.

Ivan Naatz (PL) disse que a CPI tem uma grande vantagem porque já começa com boa base de provas produzidas pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) do MPSC (Ministério Público de Santa Catarina), Polícia Civil, TCE e imprensa.

“Entendo que essa compra caracteriza ilegalidade, pois foi feita sem autorização legislativa, o que configura crime”, comentou.

Trabalho da imprensa

Sargento Lima (PSL), deputado presidente da CPI dos respiradores, ressaltou o trabalho da imprensa que, nas palavras dele, é “a grande vedete do momento” por que passa o Estado.

“Estamos estudando fatos que já foram evidenciados pelos órgãos de controle e pela imprensa. A imprensa catarinense tem papel fundamental nesse momento histórico. Precisamos tirar Santa Catarina do rol dos Estados que estão dando mau exemplo de gerenciamento das contas públicas. Acredito que teremos resultados positivos, principalmente na questão moral”, afirmou.

Leia também:

O deputado Milton Hobus (PSD), membro da CPI, resumiu como um momento triste o atual cenário político do Estado impulsionado por o que ele chamou de desleixo do governo.

“Santa Catarina sempre foi produtor de boas notícias para o Brasil, sempre foi respeitado. Eu resumo como um momento muito triste esse que o Estado vive. Hoje Santa Catarina passa por dificuldades com a pandemia e o desleixo do governo que levou o Estado para esse caos da corrupção”, criticou.

+

Política

Loading...