Paulo Alceu

Análises qualificadas e comentários assertivos acerca dos assuntos mais relevantes para os catarinenses.


PT quer CPI da Segurança

A bancada do PT decidiu que hoje entrará com um requerimento na mesa solicitando a criação de uma CPI sobre a Segurança Pública

Suntuosidade 

Marco Santiago/ND

É inegável que o prédio do Tribunal de Contas do Estado destoa dos demais. Revela uma suntuosidade que nos tempos de hoje acaba sendo contestada diante de outras necessidades mais urgentes e necessárias beneficiando a população. Do TCE, de repente, se espera austeridade e boa utilização do dinheiro público. Claro que desvios e a corrupção latente merecem uma obrigatória e sistemática cobrança, mas não se resume só nisso. A má aplicação e gestão descompromissada com a economia do dinheiro público também devem ser questionadas. Ouve-se muito de governantes argumentos sobre a falta de recursos para aplicar em hospitais, por exemplo, como no caso do Cepom, em Florianópolis, referência no câncer, e há 13 anos se arrastando em obras com centros cirúrgicos incompletos. Enquanto isso é erguido um prédio padrão especial com detalhes que fogem a compreensão. Onde um heliponto sofisticado recebe o argumento de que será em beneficio de todos. Então porque não doar esse dinheiro para colocar o heliponto num local mais apropriada do que o prédio dos conselheiros? Onde todos tenham acesso, sem ser barrado na portaria. Claro que é necessária uma área adequada para um trabalho eficiente, mas se os excessos fossem contidos certamente sobraria mais dinheiro para equipar, no caso citado, hospitais. O dinheiro público tem que ser melhor priorizado.

Critica
“Estratégia equivocada”, foi o que considerou o deputado Maurício Eskudlark na condução do processo de exoneração do delegado Claudio Monteiro atacando a imagem e a dignidade de um profissional. Para Eskudlark, que foi diretor geral da Polícia Civil, faltou sensibilidade e há meios legais para apurar tais questões administrativas sem causar constrangimentos, principalmente, ao governador.

Confirmado
Com a presença dos ministros Aguinaldo Ribeiro, das Cidades, Ideli Salvatti, das Relações Institucionais, e o presidente da Caixa, Jorge Hereda, será assinado no dia 16 na Capital o contrato de financiamento com a Casan no valor de R$ 404 milhões. Os municípios beneficiados com obras de saneamento são Criciúma, Florianópolis, Biguaçu, São José, Rio do Sul e Concórdia.

“Sem deixar furo”

Arquivo/ND

Foi essa a expressão que o presidente do Iprev, Adriano Zanotto, usou para justificar a demora na entrega do relatório sobre as aposentadorias por invalidez. Era para ser em março, mas a quantidade de testemunhas arroladas, ultrapassando 300, além de laudos complementares solicitados pela defesa, transferiu para o final de abril a apresentação de parte do relatório, cerca de 50%, e o restando em maio. Isso tudo para evitar falhas processuais que não sustentem uma ação judicial. Ou seja, está sendo feito, não permitindo nenhuma brecha. Caso seja confirmada a fraude, segundo Zanotto, o pagamento é imediatamente suspenso. A partir daí a Assembleia abrirá um procedimento administrativo, já que houve ilicitudes, para afastar o servidor. Certamente será um momento delicado. Embora as investigações confirmem que foi efetuado um procedimento ilegal, com benefícios irregulares, utilizando dinheiro público trata-se do afastamento do serviço público de uma pessoa idosa, de repente, sem condições de recuperação. Mas cometeu uma ilegalidade, e terá que pagar por isso. Quem tiver menos de 70 anos, poderá inclusive, ser chamado para retornar as atividades, mas sem o benefício. Segundo o presidente do Iprev, essa possibilidade deveria ser desconsiderada. “Ninguém deve voltar sendo confirmada a fraude….”, concluiu.

Tuitando
@ Para o deputado/secretário Valdir Cobalquini, que já foi chefe da Casa Civil, a condução que vem sendo dada pelo atual secretário Derly Massaud era o que faltava para dar uma referência de cobrança e monitoramento dos programas do governo.

@ Para onde vai o PP? Em Blumenau, está sendo assediado pelo PSD, de Jean Kullmann, PSDB, de Napoleão Bernardes, e PT, de Ana Paula Lima. Por enquanto ainda não se definiu. Os desencontros com a administração João Paulo Kleinübing não fizeram com que Kullmann desista.

@ O deputado Antonio Aguiar garante que não será candidato a prefeito de Canoinhas. A deputada Luciane Carminatti tem tudo para não concorrer em Chapecó e Carlos Chiodini considera que são pequenas as possiblidades de disputar a Prefeitura de Jaraguá do Sul. Mas não está fora do páreo.

@ Em Chapecó, a tendência é de que o PT lance o deputado federal Pedro Uczai. Claudio Vignatti e Luciane Carminatti participarão do processo. A deputada declarou que há uma unidade entre eles e cada um desempenhará uma função na campanha.

@ “CPI não vai ter”…afirmou o líder do governo Edison Andrino assim que soube da decisão da bancada do PT. Para Andrino, o delegado admitiu o erro. Não existe razão para uma CPI. Ou seja, tudo indica que será complicado conseguir assinaturas na base governista.

CPI?  1
Pois é, faz alguns anos que não é instalada uma CPI na Assembleia. A última o pedido foi arquivado faz uns três anos. Mas a bancada do PT decidiu que hoje entrará com um requerimento na mesa solicitando a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito sobre a Segurança Pública, diante dos últimos acontecimentos. Segundo o líder da bancada Dirceu Dresch o Parlamento não pode ficar distante da preocupação estampada pela sociedade.

CPI ? 2
Os argumentos estão baseados em declarações de autoridades, como os delegados, Cláudio Monteiro, que foi homenageado ano passado pela Assembleia, e principalmente Renato Hendges, que tramita um pedido de homenagem. Segundo Dresch duas personalidade da segurança pública que levantam suspeitas de “desmanche” do Deic. São necessárias 14 assinaturas para a instalação de uma CPI. O PT tem sete deputados, que estão otimistas.

E a Vida Segue
O PT de repente terá em alguns delegados de Polícia, insatisfeitos com a condução do caso Monteiro, aliados para pressionar o governo, enquanto “sonha” com uma CPI.