Paulo Alceu

Análises qualificadas e comentários assertivos acerca dos assuntos mais relevantes para os catarinenses.


Reações contra decisão de acabar com indenização

Vamos colocar os pontinhos nos” iss.” Isso significa tirar uma pouco mais de R$ 4 mil de algumas categorias do governo. Dinheiro esse, que não incide no imposto de renda. A indenização por uso de veiculo próprio tinha tudo para ser banida. E aconteceu, com a manifestação definitiva do Tribunal de Contas do Estado. O governo poderia nesse meio tempo montar um plano diferente e menos oneroso. Agora terá que enfrentar reações, que já começaram a ocorrer. Uma delas na Defensoria Pública. Só para vocês terem uma ideia foi encaminhado um despacho formulado pelo defensor público Fernando Morsch solicitando a suspensão da participação de integrantes da Defensoria em audiências e atividades externas enquanto não for restabelecida a indenização por uso de veiculo próprio ou restabelecido o uso de veiculo oficial para trabalhos externos. Essa solicitação será avaliada e decidia pelo Conselho, que já abriu agenda. Isso que grande parte das unidades da Defensoria Pública é localizada próxima aos Fóruns. Precisa de carro? Esse privilegio alcança também os auditores fiscais e procuradores, numa condição diferente sobre o uso de veículos. O governo terá que resolver o que foi criado de forma onerosa para os cofres públicos e virou penduricalho de salário.