Paulo Alceu

Análises qualificadas e comentários assertivos acerca dos assuntos mais relevantes para os catarinenses.


Redes sociais em apoio ao delegado Monteiro

O apoio que o delegado Cláudio Monteiro, exonerado da Deic, nas redes sociais deverá chegar às ruas

Saúde e os hospitais

A defasagem no valor pago pelo SUS aos procedimentos hospitalares vem gerando uma série de reclamações e alertas sobre o futuro dos hospitais em Santa Catarina, onde em Caçador, por exemplo, um deles fechou. O governo garante que em breve estará disponibilizando R$ 140 milhões para os municípios a fim de atenderem essa demanda.

# “A tabela do SUS está defasada. Há 15 anos não tem reajuste. Provoca um forte impacto no custeio dos hospitais. Defendemos que o governo do Estado faça a complementação destes custos”, declarou o presidente da entidade que representa o setor, Tércio Egon Paulo Kasten.

# “A realidade é que os hospitais sobrevivem atualmente da realização de campanhas, quermesses, vendas de serviços e aluguéis das instalações. Uma situação que começa a se tornar insuportável. Além disso a criatividade dos administradores já se esgotou”, alertou o presidente da Associação dos Hospitais do Estado de Santa Catarina (Ahesc), Dario Clair Staczuk.

# “Não estamos fugindo à discussão da distribuição dos recursos. Todo o grupo de gestão já tem a autorização pra apresentar o mais rápido possível um plano de ação, ampliando os incentivos que já existem, mas de acordo com a rede instalada e a resolutividade e qualidade dos serviços de cada região”, disse o secretário-adjunto da Secretaria Saúde, Acélio Casagrande.

Caminho ideal

Um dos temas da coluna de sexta-feira chamou a atenção do senador Casildo Maldaner. Ele concorda também que sobretaxar o vinho importado como estimulo aos nacionais só trará prejuízos ao consumidor. Realmente não é o caminho mais adequado. Tanto que há reações no mercado, inclusive, boicotando a compra de produção nacional por parte de restaurantes e supermercados. O senador Maldaner defende um mercado mais competitivo estimulando o desenvolvimento e a inovação “Para melhorar o cenário competitivo é fundamental a inclusão das pequenas vinícolas – que são mais de 90% do total – no Simples, reduzindo a carga tributaria e desburocratizando a prestação de contas”, e o projeto de lei já esta sendo preparada pela consultoria legislativa do Senado.

Tensão

O que aconteceu na sexta-feira, no Santinho, em Florianópolis, mostra bem o que é vandalismo e ignorância que quando caminham juntos provocam violência e insegurança. Mais uma vez em nome de uma cultura discutível e inaceitável preparavam a produção da farra do boi, que é proibida por lei, enfrentando a polícia e a imprensa. O boi foi apreendido promovendo a ira dos farristas. A equipe de reportagem da RIC foi apedrejada. Além disso, foi necessário pedir reforço policial. Os farristas, ignorantes, atacaram o caminhão que levava o boi. A polícia teve que se proteger no Costão do Santinho. Uma comunidade que acredita que agredir um animal trata se de uma manifestação normal. Merece a rigidez da lei, que infelizmente não ocorrerá. Neste sábado, é dia da Farra do Judas, como dizem os cartazes próximo ao Mercado Público: “Vamos malhar o Judas e  deixar o boi em paz”. 

Evolução ilustra

Arquivo/ND

Em maio, acontece em Florianópolis a Feira de Negócios do setor de calçados. São João Batista, na Grande Florianópolis, conta com 120 empresas abrigando mais de oito mil empregados. Numa cidade onde a população é de 25 mil habitantes. Trata se de uma referência na região Sul. Nesta feira, com a presença de lojistas de todo o país, é apresentada a tendência para 2012, 2013 revelando a pujança do setor, que hoje exporta calçados para vários países.

Tuitando                      
@ Que lambança. O contraventor Carlinhos Cachoeira não era ligado apenas ao senador do DEM, Demóstenes Torres. Tinha na verdade uma bancada multipartidária com parlamentares do PT, PTB, PPS, PP, PSDB ou seja, que atire a primeira pedra quem não tiver pecado…

@ O relacionamento de Carlinhos Cachoeira com parlamentares e governadores revela muito bem o que está por trás de doações para campanha política. No mínimo ajuda para desenrolar papeladas na liberação de alguma empresa. Mais uma vez o polêmico financiamento público ganha força.

@ Confirmado. Na segunda feira, dia 9, o deputado federal Marco Tebaldi anuncia se participará ou não das eleições municipais de Joinville. Será notícia se ele desistir de ser candidato a prefeito. Lideranças do PSDB dão como certa sua candidatura e inclusive ele nas manifestações que vem fazendo.

@ É grande o otimismo do presidente do PSDB, Leonel Pavan, em relação a reeleição de Clésio Salvaro. Quando perguntado se o PSD estará com o prefeito de Criciúma, Pavan afirma que todos querem estar com Salvaro porque é uma eleição que confirmará a ótima administração que vem realizando.

@ A declaração de que não é corrupto do delegado Cláudio Monteiro, exonerado do comando da Deic, revela que sua saída não se resume nas manifestações que movem o sentimento de todo o cidadão diante da insegurança. O apoio que vem recebendo nas redes sociais deverá chegar às ruas.

Procedente

Divulgação/ND

Na semana que vem a Comissão de Finanças e Tributação da Assembleia Legislativa votará o calendário das audiências públicas do orçamento regionalizados, que deverá ocorrer no primeiro semestre deste ano em diferentes regiões do Estado. Até aí tudo bem, mas procede a sugestão do deputado tucano Gilmar Knaesel ao propor as audiências no segundo semestre, depois das eleições, embora o período seja apertado. Ele argumenta que só assim os prefeitos eleitos e vereadores terão oportunidade de apontar necessidades e prioridades para o orçamento de 2013.

Impasse  
Existe a possibilidade real de que a PEC dos Bombeiros seja arquivada. Não devido a polêmica que vem alimentando, mas pela inconstitucionalidade. O deputado Romildo Titon, que preside a Comissão de Constituição e Justiça, destacou na semana passada a necessidade de uma proposta adequada que evite o arquivamento. O impasse continua sobre a fiscalização de projetos e edificações pelos bombeiros voluntários. Mas já está na Assembleia a proposta de reordenamento jurídico apresentado pelo Ministério Público, que pode ajudar a resolver o embróglio atual.

E a Vida Segue 
Que o Fórum Parlamentar das Cirurgias Eletivas, criado na Assembleia, não se transforme em balcão de interesses eleitorais.