“Repetição de fatos”, afirma Gean Loureiro após ser indiciado na Operação Chabu

Deflagrada em junho e finalizada na última sexta-feira (6) pela Polícia Federal, a ação resultou no indiciamento de 17 pessoas, incluindo Gean

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, afirmou nesta segunda-feira (9) que a conclusão do inquérito da Operação Chabu, foi uma “repetição de fatos” que “serviram para tentar justificar erros ao longo da investigação”. 

Deflagrada em junho e finalizada na última sexta-feira (6) pela Polícia Federal, a ação resultou no indiciamento de 17 pessoas, incluindo Gean.  

“Repetição dos fatos”, afirma Gean Loureiro após ser indiciado na Operação Chabu – Foto: Anderson Silva/ND

Alvo da operação, que apura a violação de sigilo de operações policiais, o prefeito da Capital foi detido pela PF no dia da operação, e liberado horas depois. A residência do chefe do Executivo municipal também foi alvo de busca e apreensão. 

“Entraram na minha casa, pegaram meu celular, o celular e coisas das minhas filhas adolescentes e reviraram minha vida. Mas no fim inquérito não trouxeram nada de novo, nada do que a gente não sabia”, afirmou. 

Leia também:

Na investigação, os agentes também buscaram informações para tentar elucidar uma suposta “sala segura”, que estaria sendo construída dentro da prefeitura. “Eu convido toda a população a ir na prefeitura e procurar essa sala que nunca existiu”, disse. 

O relatório do inquérito, com 580 páginas, segue agora para o TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), em Porto Alegre.

Antes de concluir o inquérito, o delegado Daniel Carvalho Brasil Nascimento, responsável pela ação, pediu a prisão de 15 pessoas. Destas, a Justiça autorizou sete.

+

Política