Aumenta pressão por renúncia do deputado estadual Romildo Titon

Deputado promete decisão sobre a presidência ainda nesta semana

Após a pré-convenção, o futuro do deputado estadual e presidente afastado da Assembleia Legislativa de Santa Catarina Romildo Titon passa a ser o principal assunto para o PMDB no momento. A afirmação foi do presidente estadual da sigla e vice-governador Eduardo Pinho Moreira, logo após a reunião de sábado. Fora do comando do Legislativo desde 26 de fevereiro, Titon pode renunciar ainda nesta semana. O deputado foi denunciado pelo Ministério Público na operação Fundo do Poço, ao lado de outros 45 suspeitos, por supostas irregularidades na perfuração de poços pelo Estado.

Daniel Queiroz/Arquivo/ND

Titon participou da convenção do PMDB, mas preferiu ficar nos bastidores

Moreira reforçou que a decisão de Titon é particular, contudo sinalizou pela renúncia, ao citar os desgastes político e pessoal do parlamentar. “Não queremos induzi-lo, a renúncia é um ato particular dele, mas nós queremos mostrar que há desgaste para ele próprio, para sua família e pretendemos que isso seja evitado, que não contamine, e que ele continue sua vida tranquilamente”, comentou Moreira, ao defender a postura do parlamentar. “Quero registrar que, em nenhum momento, deixamos de acreditar e de confiar no deputado Titon. Ele já foi punido demais e alguma coisa tem que acontecer, não pode continuar afastado”, alegou.

Logo após o resultado da pré-convenção, Moreira falou ao pé de ouvido com Titon e marcou uma conversa informal para o domingo à noite. Porém, o encontro ficou para o fim da tarde de ontem, antes da homenagem aos 48 anos do PMDB. “Não deu tempo de conversar no domingo, devido ao rescaldo da pré-convenção. Mas a conversa foi para saber da decisão dele, ouvir sua vontade”, comentou o vice-governador.

O deputado Romildo Titon, mais uma vez, não quis falar com a imprensa. A assessoria confirmou que o parlamentar deve se pronunciar de forma oficial ainda nesta semana. A alegação foi que Titon usou o fim de semana e a pré-convenção para refletir sobre as alternativas. Durante a reunião do partido, no sábado, questionado sobre a decisão, o parlamentar limitou-se apenas a dizer que “será positiva”.

Caso pode parar na Comissão de Ética

Definir a situação do deputado estadual Romildo Titon, presidente afastado da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, não é prioridade apenas para o PMDB, mas também para o parlamento, que há dois meses administra incertezas e desgastes na indefinição do comando. A deputada Angela Albino (PCdoB), independente da decisão do deputado, disse que irá protocolar hoje um requerimento solicitando ao Tribunal de Justiça a transcrição do julgamento do Órgão Especial no último dia 16, que manteve Titon afastado do cargo.

Segundo a parlamentar, as informações dos desembargadores sobre novas provas podem sustentar um pedido de quebra de decoro parlamentar na Comissão de Ética da Assembleia. “Tudo o que sabemos até agora é por meio da imprensa, não é nada formal, por isso solicitarei a transcrição”, explicou Angela, que defende uma atitude da Casa.

Outro que pede mudanças é o deputado Sargento Amauri Soares (PSOL). Ele sugere a renúncia coletiva da Mesa Diretora e eleição do novo comando da Casa.

Corporativismo ainda dá o tom

A maioria dos parlamentares prefere esperar a decisão do deputado Romildo Titon (PMDB). O presidente interino da Assembleia Legislativa Joares Ponticelli (PP) afirmou que nenhuma reunião foi agendada com líderes partidários ou com a Mesa Diretora para tratar do assunto nesta semana. Porém, ele e os 38 demais deputados aguardam a decisão de Titon. “É uma manifestação que compete exclusivamente a ele”, comentou Ponticelli, que preferiu não projetar novas definições, caso o parlamentar decida pela renúncia.

O líder do PMDB Moacir Sopelsa ponderou que este é um assunto delicado e que nenhum deputado sente-se à vontade para questionar Titon. “É difícil falar sobre isso, é uma questão muito pessoal”, argumentou, ao adiantar que, assim como os demais, também aguarda uma decisão para esta semana. O deputado Gelson Merísio (PSD) negou que a situação seja incômoda à rotina da Casa e que não sabe qual será o caminho escolhido pelo deputado. “Só nos resta aguardar”, afirmou.

FUTURO DE TITON

O que pode acontecer nesta semana

ALTERNATIVAS

1 – Continua afastado até julgamento no Superior Tribunal de Justiça, ainda sem data marcada

2 – Renuncia à presidência e o interino Joares Ponticelli assume oficialmente o cargo

3 – Mesa Diretora acompanha renúncia, todos deixam cargos e nova eleição é agendada

4 – Pede licença por 60 dias e trabalhos continuam sob o comando do presidente interino

5 – Pede licença por 60 dias e mesa diretora renuncia para obrigar uma nova eleição

DERROTAS

26 fev. Liminar do Tribunal de Justiça afasta o deputado Romildo Titon da presidência da Assembleia Legislativa

28 fev. Justiça não reconhece o recurso da Assembleia e mantém o afastamento

5 mar. Tribunal de Justiça analisa recurso da defesa que solicitava investigação federal, e mantém caso na Justiça Estadual

15 abr. Vara da Fazenda Pública da Capital bloqueia os bens de Titon, seis acusados e três empresas

16 abr. Órgão Especial do Tribunal de Justiça decide por 11 votos a 10 manter afastamento 

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Política

Loading...