Paulo Alceu

Análises qualificadas e comentários assertivos acerca dos assuntos mais relevantes para os catarinenses.


Solenidade concorrida

O governo libera recursos nossos, para obras que serão pagas por nós e quem faz as honras são os políticos

Solenidade concorrida

 Pois é, com pompas e circunstâncias o Ministério das Cidades e a Caixa Econômica Federal liberaram ontem, em Florianópolis, R$ 404 milhões para obras de esgotamento sanitário em vários municípios de Santa Catarina, que serão coordenadas pela Casan. Recursos necessários e obrigatórios dentro de um programa que visa também a saúde, como bem frisou a ministra Ideli Salvatti, que participou do evento. Mas vale destacar, como curiosidade, que essa verba, sublinhada nos discursos das autoridades, tem origem nos impostos, pagos por nós consequência de uma carga tributária nada digerível. Foi liberada como financiamento que será pago naturalmente ao governo federal, via Caixa Econômica. E quem vai honrar esse pagamento? Nós, por meio da conta que receberemos da Casan, no final do mês. Ou seja, o governo libera recursos nossos, para obras que serão pagas por nós e quem faz as honras são os políticos, denominados representantes do povo. Por isso a necessidade de uma fiscalização atuante, exigindo transparência e realização. Para o dinheiro, digamos, não voar. E a Caixa Econômica certamente vai cobrar com firmeza. Enquanto os políticos terão a responsabilidade de realizar com brevidade…

Manifestações do governador

 Sobre a crise na Segurança Pública
-“Devemos ter coragem para afastar os envolvidos, como também coragem para manter quem não apresenta nenhum envolvimento.”
Sobre o Magistério
-“Minha expectativa é positiva. Estamos apresentando uma proposta transparente. Colocamos na mesa nossa realidade financeira.”

Conversando

 O PSDB estará com o PMDB em Florianópolis? Alguns dias atrás eram favas contadas, mas voltaram às conversas e avaliações. O presidente dos tucanos, Leonel Pavan, que já tinha anunciado até João Batista Nunes como vice de Gean Loureiro, mudou de estratégia declarando a necessidade de não fechar portas para novas alternativas. Referia-se ao secretário Vinicius Lummertz. “Vinicius tem que ser ainda uma alternativa, assim como Gean e João Batista. Não se pode negociar com cartas batidas….”, frisou Pavan.

Otimista

 “Não havendo intervenção no partido, teremos conosco o PSD, que na relação local é um partido que ajuda o governo”, afirmou o prefeito tucano, Clésio Salvaro, que tenta a reeleição em Criciúma. Uma das importantes negociações é com o DEM, principalmente, por conta do tempo de televisão. Já tem o PP, PPS, PV, PSC e está costurando com o PDT, PST e o PSD.

Expectativa

Divulgação/ND

Nesta terça-feira a assembleia dos professores vai dizer se aceita a proposta apresentada segunda-feira pelo governo ou entra em greve. Numa negociação, há necessidade, muitas vezes, de ceder um pouco para avançar depois. Radicalismos não beneficiam ninguém. Neste caso prejudicam os alunos. O governo colocou na mesa um plano com seis níveis que vai de R$ 1.450,00 até R$ 2.539,00. Começará a pagar em agosto deste ano até dezembro do ano que vem. Não agradou parte da categoria, que estava reunida com o secretário Eduardo Deschamps. Queria pagamento integral agora. É o que o governo poderá fazer dentro das condições em caixa. O ideal seria pagar tudo, mas há limitações onde estão buscando na base da negociação responsável uma solução viável, que certamente coloca também na mesa a atenção e a preocupação com a educação dos alunos.

Tuitando

@ Não deixou de ser um presente de aniversário para o presidente da Casan, Dalírio Beber, que no dia do repasse de R$ 404 milhões para obras de saneamento básico estava completando 63 anos.

@ O prefeito de Palhoça, Ronério Heiderscheidt, esteve na cerimônia de liberação de verba para as obras da Casan, apesar de não ter sido beneficiado, pois municipalizou os serviços. Foi embora, chateado, não foi nem citada sua presença.

@ A bancada do PT vai insistir na instalação de uma CPI da Segurança Pública, principalmente, segundo o líder Dirceu Dresch, depois de que novos fatos comprometedores vieram a público. Há também a possibilidade de uma representação ao Ministério Público.

@ Oficial ainda não, mas bem encaminhada à aliança do PT com o PCdoB em Florianópolis. Ontem a ministra Ideli Salvatti junto com a deputada Ângela Albino disse que ainda não bateram o martelo, mas continuam conversando.

@ Para o prefeito de Biguaçu, Castelo Deschamps, o PSD deveria evitar alianças com o PMDB para as eleições municipais, privilegiando, os verdadeiros parceiros. Castelo argumenta que o PMDB será adversário do PSD em 2014.

Disputa

Divulgação

Quem está satisfeito com o desempenho da deputada Ana Paula Lima na corrida à Prefeitura de Blumenau e o marido dela, deputado federal Décio Lima, que diz estar se preparando para ser quem sabe “primeiro damo.” O quadro hoje revela uma disputa equilibrada, com uma vantagem da petista, que de repente poderá ter no segundo turno Jean Kuhlmann, do PSD, ou Napoleão Bernardes, do PSDB, que vem costurando uma aliança considerável.

Palhoça

 A ministra Ideli Salvatti cobrou a ausência de Palhoça entre os municípios beneficiados com os recursos do Ministério das Cidades para esgotamento sanitário. Ocorre que a prefeitura municipalizou os serviços de água e esgoto. Não tem direito a esses recursos federais. Mas a direção da Casan está fazendo uma proposta para o prefeito Ronério Heiderscheidt. Libera R$ 50 milhões para obras de saneamento básico e retoma os serviços, hoje com a Águas de Palhoça. Trata-se de uma cidade sem nenhum metro de esgoto. Preocupante e vergonhoso. Águas de Palhoça teria condições de realizar esse trabalho? A Casan está se dispondo a cumprir o que não cumpriu anteriormente.

E a Vida Segue

 A expectativa e esperança são de que os R$ 404 milhões liberados para esgotamento sanitário não “cheire mal”, sendo aplicados para a finalidade proposta não se perdendo por outras tubulações.