Temer escolhe Carnelós para substituir Mariz em sua defesa

A decisão foi tomada às vésperas do recebimento pela Câmara dos Deputados da nova denúncia contra o presidente

GUSTAVO URIBE E BRUNO BOGHOSSIAN/BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O presidente Michel Temer escolheu o advogado criminalista Eduardo Carnelós para substituir Antônio Cláudio Mariz de Oliveira no comando de sua estratégia de defesa diante da nova denuncia apresentada pela PGR (Procuradoria-Geral da República).

O peemedebista se reuniu nesta sexta-feira (22) com o advogado criminalista, na capital paulista, para comunicar a sua escolha. Mariz havia sugerido pelo menos quatro nomes ao presidente para substituí-lo, entre eles o de Carnelós.

Nesta sexta-feira (22), a coluna Painel antecipou que Mariz deixaria o comando da defesa do presidente. A decisão foi tomada às vésperas do recebimento pela Câmara dos Deputados da nova denúncia contra o presidente. A acusação usa diversos trechos da delação premiada de Lúcio Funaro, de quem Mariz já foi advogado, e cita pessoas físicas e jurídicas para as quais ele atuou. O afastamento formal de Mariz foi negociado com Temer. No bastidor, ele permanecerá como conselheiro de confiança do presidente.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Política

Loading...

Temer escolhe Carnelós para substituir Mariz em sua defesa

GUSTAVO URIBE E BRUNO BOGHOSSIAN

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O presidente Michel Temer escolheu o advogado criminalista Eduardo Carnelós para substituir Antônio Cláudio Mariz de Oliveira no comando de sua estratégia de defesa diante da nova denuncia apresentada pela PGR (Procuradoria-Geral da República).

O peemedebista se reuniu nesta sexta-feira (22) com o advogado criminalista, na capital paulista, para comunicar a sua escolha. Mariz havia sugerido pelo menos quatro nomes ao presidente para substituí-lo, entre eles o de Carnelós.

Nesta sexta-feira (22), a coluna Painel antecipou que Mariz deixaria o comando da defesa do presidente. A decisão foi tomada às vésperas do recebimento pela Câmara dos Deputados da nova denúncia contra o presidente.

A acusação usa diversos trechos da delação premiada de Lúcio Funaro, de quem Mariz já foi advogado, e cita pessoas físicas e jurídicas para as quais ele atuou.

O afastamento formal de Mariz foi negociado com Temer. No bastidor, ele permanecerá como conselheiro de confiança do presidente.

+

Política

Loading...