Em Kazan, polo masculino faz sua melhor participação em Mundiais

Apesar de eliminada, seleção acabou na décima posição, a melhor da história

Apesar de ter feito uma bela apresentação, a Seleção Brasileira masculina de polo aquático acabou sendo superada pelo Canadá por 10-12 (2:2, 1:1, 3:2, 1:2, e 3:5 nos pênaltis), nesta quinta-feira (6/8), e encerrou em décimo lugar a sua participação no Campeonato Mundial de Kazan.

Os gols brasileiros foram assinalados no tempo normal (7-7) por Àdria Delgado (três), Josip Vrilic (dois), Gustavo “Grummy” Guimarães e Felipe Perrone. Converteram os pênaltis: Gustavo Guimarães, Bernardo Gomes e Felipe Perrone.

O resultado foi o melhor dos brasileiros na história na competição, superando o 12º lugar de Madri/1986 e Perth/1998, e completou a bela temporada do Brasil, que conquistou o inédito bronze na SuperFinal da Liga Mundial da FINA, e a prata nos Jogos Pan-Americanos de Toronto.

Como os dois times se conhecem bem, o jogo começou bem equilibrado e o placar de 2-2 no primeiro período foi um reflexo. O Brasil esteve sempre atrás do placar, mas chegou a igualdade com Felipe Perrone e Gustavo Guimarães.

O panorama se manteve em seguida com empate em 1-1, sendo o gol brasileiro do centro Vrlic. No terceiro período, a Seleção Brasileira teve pleno domínio, marcou três gols (Àdria, duas vezes, e Vrlic), mas acabou sofrendo um no estouro do cronômetro (3-2). E, no último período, os canadenses venceram por 2 a 1, igualando o marcador (7-7) e forçando as penalidades.

Na disputa decisiva, o Brasil errou uma cobrança e o Canadá converteu todos os seus tiros, garantindo a vitória por 3-5 (10-12) no total. Porém a Seleção fez uma exibição convincente e saiu de Kazan com a certeza da evolução. E com planos de fazer bonito e brigar por medalha nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro-2016. O trabalho do técnico Ratko Rudic colocou o Brasil na elite da modalidade.

O atacante Gustavo Guimarães demonstrou a sua total confiança na equipe.

– Acho que diferente do outro jogo contra o Canadá, o nosso time se portou de maneira mais contundente na marcação. Por alguns erros, não saímos com a vitória. Mas não se deve responsabilizar ninguém. Somos um grupo: ganhamos e perdemos juntos. O importante foi que fizemos a melhor campanha da história, subimos ao pódio em competições importantes, e mostramos que estamos no caminho correto para a Olimpíada do Rio. E que temos condições de manter um jogo em alto nível o tempo inteiro.

O centro Ivez Gonzalez lamentou a partida ter sido definida na “loteria” das penalidades.

– Não considero os pênaltis a maneira mais justa de definir um vencedor. Deveria ainda ter a prorrogação. Queríamos terminar entre os oito melhores, mas não foi possível. Eu acho que fizemos uma ótima partida e poderíamos ter vencido no tempo normal. O Brasil mostrou que tem condições de brigar por uma medalha olímpica. E cada jogo no Mundial serviu de aprendizado e para amadurecer o grupo.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...