Estudo de Harvard mostra que Ômega 3 reduz risco de problemas cardiovasculares e ataque cardíaco

Um estudo da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, que foi publicado pelo Journal of the American Heart Association, revelou que consumir suplementos de ômega 3 pode diminuir o risco de ataques cardíacos em até 8%. De acordo com a publicação, os chamados ácidos graxos encontrados no óleo de peixe são essenciais na prevenção de ataques cardíacos e doenças cardíacas coronárias.

Os cientistas descobriram ainda que o óleo de peixe é eficaz na redução de morte por doenças cardíacas, mas não tiveram nenhuma relação com a probabilidade de derrames. Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores da Escola de Saúde Pública de Harvard T.H. Chan e do Hospital Brigham and Women, ambos nos Estados Unidos, revisaram 13 ensaios prévios sobre o tema, que contaram com a participação de 120 mil participantes.

A revisão apontou que pessoas que tomaram suplementos diários de ômega 3 apresentaram riscos reduzidos de muitas doenças cardíacas em comparação aos participantes que tomaram pílulas de placebo. Já os que consumiram doses acima de 840 mg/dia tiveram riscos ainda mais reduzidos.

Mas segundo os especialistas só o ômega 3 não é suficiente. A qualidade de vida só é conquistada se o óleo de peixe for consumido juntamente com uma alimentação saudável e balanceada, além de uma rotina de exercícios físicos.

Os cientistas ainda alegam que a descoberta deve servir de incentivo para incentivar as pessoas a consumirem mais peixe no dia a dia, além de estimular práticas de bons hábitos para o coração, como não fumar, controlar o colesterol, fazer exercícios físicos, manter hábitos saudáveis de alimentação, beber bastante água e controlar a pressão arterial.

A Organização Mundial de Saúde mapeou que as doenças cardiovasculares são as principais causas de mortes no mundo, ligadas diretamente à alimentação e/ou hereditariedade. No Brasil, por exemplo, esse dado pode ser comparado com a taxa de obesidade, que em 2017 correspondia a 18,9% da população, um índice que vem crescendo de forma preocupante nos últimos anos. Maus hábitos o consumo excessivo de álcool também contribui para esses problemas.

Ômega 3:

O ômega 3 é encontrado especialmente nos peixes de água salgada, como salmão, atum e sardinha. Além disso está presente em sementes como chia e linhaça. Ele faz parte das chamadas gorduras boas para o organismo.

Muitas vezes a suplementação é recomendada por médicos inclusive para mulheres grávidas, pois pode prevenir partos prematuros e melhorar o desenvolvimento neurológico da criança. A suplementação também pode ser utilizada no período de amamentação, pois auxilia no suprimento de necessidades que surgem tanto para a mãe quanto para o bebê.

Além disso, segundo especialistas, o óleo de peixe modula processos neurobiológicos, como os sistemas de neurotransmissão e neuroplasticidade, que são essenciais para preservar a saúde mental das pessoas.

Mais conteúdo