Memorial do Clube de Regatas Aldo Luz reúne troféus, medalhas e ata de fundação na Ilha de SC

Clube tem 103 anos de história, muitas conquistas e o espaço, batizado com o nome de Aderbal Ramos da Silva, também conta a história do remo e de Florianópolis

Florianópolis tem três clubes de remo, todos de história centenária. Um deles, o Aldo Luz, inaugurou, nesta quinta-feira (23), a exposição “Clube de Regatas Aldo Luz – Histórias e Memórias de um Remo Centenário”.

Memorial reúne inúmeras conquistas do Aldo Luz e conta história do clube e da cidade – Foto: Leo Munhoz/NDMemorial reúne inúmeras conquistas do Aldo Luz e conta história do clube e da cidade – Foto: Leo Munhoz/ND

Neste ano, a agremiação completa 104 anos, mas a ideia do recém-inaugurado memorial veio em 2014, conforme o ex-presidente e atual conselheiro André Dutra. Ele também é autor do livro sobre os 100 anos do Aldo Luz. Após a inauguração do memorial, o espaço fica aberto à visitação do público.

Na galeria, os troféus, medalhas, fotos e até a ata de fundação ajudam a contar os mais de cem anos de história e vitórias do Aldo Luz na Ilha de Santa Catarina. O clube fundado em 27 de dezembro de 1918, nasceu no antigo bairro da Figueira – região entre a rua Padre Roma e a rua Felipe Schimidt – no Centro da Capital.

Silvia Hoepcke, filha do doutor Aderbal, também foi à inauguração do memorial – Foto: Leo Munhoz/NDSilvia Hoepcke, filha do doutor Aderbal, também foi à inauguração do memorial – Foto: Leo Munhoz/ND

A primeira assinatura da ata é do remador que dá nome ao clube e teve uma vida muito breve, morrendo aos 23 anos. Aldo era filho do ex-governador de Santa Catarina Hercílio Luz.

Já o memorial do Aldo Luz leva o nome de Aderbal Ramos da Silva, mais um dos ilustres aldistas – como são chamados os remadores que têm o Aldo Luz no coração – e fica na sede do clube, no Parque Náutico Walter Lange. Segundo Ricardo Mesquita, atual presidente da agremiação, o memorial ajuda a contar a história da cidade.

“Quem é de Florianópolis sabe que, quando tinha regata, até a década de 1960, a cidade parava. As regatas eram no domingo, porque se fizesse outro dia, ninguém ia trabalhar”, explicou Mesquita.

Jovens também podem conhecer a história centenária do Aldo Luz – Foto: Leo Munhoz/NDJovens também podem conhecer a história centenária do Aldo Luz – Foto: Leo Munhoz/ND

A inauguração do memorial também foi marcada por homenagens. A família de Aderbal, na figura de sua filha, Silvia Hoepcke da Silva, e de seu neto, Guilherme Hoepcke da Silva Grillo, foram parabenizados pela história de Aderbal com o Aldo Luz.

“Gostaria de agradecer, em nome da família, essa honra para nós [de dar nome ao memorial]. Meu avô sempre teve muito amor e carinho pelo Aldo Luz e sempre falava isso”, declarou Guilherme.

Presenças ilustres

A inauguração do memorial reuniu cerca de 100 pessoas. Dentre os quais, um aldista com mais de 70 anos de história: Odilon Maia Martins. Lá, também estavam membros da família Tremel, que nomeia a academia de remo do Aldo Luz.

O presidente do Figueirense Futebol Clube, Norton Boppré, coirmão do Aldo Luz, também marcou presença no evento, ao lado do 1º vice-presidente, José Tadeu da Cruz, e da também vice-presidente, Vera Lucia Rodrigues.

Dutra é autor do livro que conta os 100 anos de história do Aldo Luz – Foto: Leo Munhoz/NDDutra é autor do livro que conta os 100 anos de história do Aldo Luz – Foto: Leo Munhoz/ND

“A relação entre Figueirense e Aldo Luz é umbilical. O Aldo Luz é um pouco mais experiente, mas temos muita identidade. Quando o Aldo Luz já existia, atletas e até dirigentes do clube de remo foram dirigentes e atletas do Figueira. Ou seja, a relação é histórica”, ressaltou Norton Boppré.

Diretoria do Figueirense e Ricardo Mesquita, presidente do Aldo Luz – Foto: Leo Munhoz/NDDiretoria do Figueirense e Ricardo Mesquita, presidente do Aldo Luz – Foto: Leo Munhoz/ND

No evento, o presidente clube de futebol entregou uma placa ao presidente do de remo, com os seguintes dizeres: “homenagem do Figueirense ao Clube de Regatas Aldo Luz, na ocasião da inauguração de seu memorial, espaço para se reverenciar sua gloriosa história e suas memoráveis conquistas.”

Espaço conta passo a passo da história do Aldo Luz – Foto: Leo Munhoz/NDEspaço conta passo a passo da história do Aldo Luz – Foto: Leo Munhoz/ND

Os presidentes dos outros dois clubes de remo da Capital, Riachuelo e Martinelli, também prestigiaram o evento. Até o presidente do América veio de Blumenau para participar da inauguração. O diretor regional do Grupo ND em Florianópolis, Roberto Bertolin, e o colunista de esportes, Fábio Machado, também acompanharam a inauguração.

O colunista Fábio Machado e o remador Odilon Maia Martins, que tem mais de 70 anos no Aldo Luz – Foto: Leo Munhoz/NDO colunista Fábio Machado e o remador Odilon Maia Martins, que tem mais de 70 anos no Aldo Luz – Foto: Leo Munhoz/ND

Machado elogiou a iniciativa do clube: “que sirva de exemplo para os outros. A memória é extremamente importante. É fundamental resgatar a história de pessoas que passaram e construíram o clube. A inauguração do memorial é um marco na história do Aldo Luz e do remo de Santa Catarina. Ficou lindo o espaço e é um presente para a cidade”.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...