500 pessoas serão monitoradas após evento-teste em teatro de Florianópolis

Plateia foi completamente imunizada, com as duas doses ou dose única da vacina contra a Covid-19; todos passaram por teste RT-PCR durante a semana

O Teatro Ademir Rosa, do CIC (Centro Integrado de Cultura), foi palco de um dos primeiros eventos-teste do país nesta quinta-feira (29), em Florianópolis. Após 16 meses, o espaço recebeu o show gratuito da Camerata Florianópolis interpretando Mendelssohn e Beethoven.

Dos mais de 900 lugares disponíveis, cerca de 500 foram utilizados para acompanhar a apresentação e servir como demarcação de segurança sanitária. O número foi pautado pelos pesquisadores que farão o monitoramento dos participantes pelos próximos 15 dias.

Evento teve o uso de máscaras FFP2, distanciamento de 1,5m, poltronas marcadas e sinalizações – Foto: Tóia Oliveira/Camerata Florianópolis/NDEvento teve o uso de máscaras FFP2, distanciamento de 1,5m, poltronas marcadas e sinalizações – Foto: Tóia Oliveira/Camerata Florianópolis/ND

Um dos momentos comoventes da apresentação da Camerata foi protagonizado por um cantor de 28 anos que fez uma canção para o pai, internado à época com Covid-19. Ao lado da orquestra, Everton Leonardo Dreschler, conhecido como Jack, homenageou os profissionais de saúde que atuam há mais de um ano e meio no combate ao coronavírus.

“Nossa intenção com o evento foi ir além de um concerto musical. Foi avaliar a segurança sanitária de eventos desse porte por meio de pesquisa científica. Colheremos o resultado daqui a alguns dias. Mas o acontecimento já foi um primeiro passo importante. Trabalhamos de forma uníssona e multissetorial, com a contribuição de todos. Com os protocolos sanitários da SES (Secretaria de Estado da Saúde), a pesquisa da Univali e Unisul, o apoio do Senac e da FCC (Fundação Catarinense de Cultura), além do acompanhamento próximo da nossa Santur (Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina), tivemos o máximo cuidado com as pessoas”, apontou o governador Carlos Moisés.

Segurança

O evento-teste seguiu a prática das determinações sanitárias de prevenção ao novo coronavírus, com o uso de máscaras do modelo FFP2, o distanciamento de 1,5m, poltronas marcadas, sinalizações diferentes para cada região da plateia e não permitiu o consumo de bebidas e alimentos dentro do teatro. A plateia foi formada apenas por moradores da Grande Florianópolis, completamente imunizados, com as duas doses ou dose única da vacina contra a Covid-19, respeitando o intervalo após a vacinação. Todos os espectadores passaram por teste RT-PCR durante a semana.

O público foi dividido por cores que estipulavam diferentes acessos. Uma equipe de 20 monitores orientou o público na chegada e na saída. Espectadores acompanhados de familiares puderam sentar próximos, como indicado na compra do ingresso e no preenchimento do termo de aceite para a pesquisa.

Ao se dirigir ao assento, para realizar o check-in, o participante do estudo acessava um QR-Code de uma plataforma de rastreabilidade contratada pela Santur para fornecer nome, telefone e e-mail. Os dados foram encaminhados à SES para o monitoramento.

A partir de agora, a secretaria e as universidades Unisul e Univali acompanharão por 15 dias as respostas imunológicas dos participantes. Depois de cinco dias, haverá novos testes RT-PCR para todos que participaram do evento.

O superintendente de Vigilância em Saúde, Eduardo Macário, sublinhou essa união científico-cultural do estudo: “Esse evento foi o reflexo de um longo trabalho em conjunto de pesquisa aplicada. Nossa intenção aqui é analisar comportamentos, atitudes, práticas, o que precisa ser aperfeiçoado e o impacto que gera algo assim, com alto nível de segurança”.

Reconstrução

A apresentação do evento-teste foi uma interpretação da Camerata de Florianópolis de Mendelssohn e Beethoven. Ela começou pouco depois de 20h. O maestro Jeferson Della Rocca não escondeu a satisfação de tocar para um público ao vivo novamente num teatro – o que não ocorria havia mais de 500 dias.

Esse foi o primeiro de cinco eventos-teste que o setor planeja fazer nas próximas semanas – Foto: Tóia Oliveira/Camerata Florianópolis/NDEsse foi o primeiro de cinco eventos-teste que o setor planeja fazer nas próximas semanas – Foto: Tóia Oliveira/Camerata Florianópolis/ND

“Desde o dia 12 de março de 2020 não tocávamos aqui no CIC. O nosso setor foi extremamente impactado pela pandemia. É importante esse olhar que o Estado está conferindo ao setor, pois é o começo de uma reconstrução. Não retomada, pois muitos dos nossos acabaram deixando o ramo artístico, mas reconstrução. Hoje é um dia feliz e cheio de esperança, onde finalmente pudemos estar em contato com o nosso público mais uma vez”, disse.

Público

Para a farmacêutica Lorena dos Santos, moradora de São José, o sentimento ao participar de um evento presencial pode ser resumido a uma palavra: alegria. “Depois de tanto tempo, voltar a um teatro nos traz a esperança de que estamos mais perto de ter uma vida normal outra vez”, enfatizou.

Nara Job, de 67 anos, é aposentada e mora em Florianópolis há sete anos. Ela já conhecia a Camerata e, antes do concerto, não escondeu sua ansiedade em voltar a ter contato com um evento dessa magnitude. “Faço aniversário em julho, no mês do rock. Não imagina o quanto sentia falta da Camerata e seus shows. Quando a orquestra começa a tocar, nós nos transportamos para o mundo deles”.

Depois do evento, ela confirmou suas expectativas. “Eu me senti segura e feliz. Foi uma experiência única. Conversamos com pessoas novas, com distanciamento, todos de máscara. Deu tudo certo. No bis, quando tocaram Perfume de Mulher, eu chorei muito”, destacou.

Próximos passos

O presidente interino da Santur, Renê Meneses, ressaltou que o momento é importante para o setor de eventos e para o setor do turismo, que observa o avanço da vacinação como o começo da retomada gradual da vida socializada.

“O evento norteia a nossa conduta daqui para frente e começa a nos fornecer um diagnóstico, um balizamento, do que podemos retomar, como podemos e de que forma. É um primeiro passo. Criamos um grupo de trabalho com as entidades do setor, com a SES, com a Vigilância Sanitária, com as universidades. É algo técnico e científico que nos permitirá retomar os eventos com segurança no estado”, reforçou Meneses.

Esse foi o primeiro de cinco eventos-teste que o setor planeja fazer nas próximas semanas. Após o primeiro espetáculo cultural, a Santur projeta ainda um congresso, uma feira, um jantar e um evento esportivo. As inscrições e confirmações de datas, como no caso da Camerata, serão anunciadas pelo governador Carlos Moisés.

Pesquisa

Após o evento, a Univali e a Unisul farão um relatório completo com todas as orientações e apontamentos avaliados durante o estudo. Houve muita preocupação dos pesquisadores quanto a fraudes. De acordo com a equipe, muitos países enfrentaram problemas com intercambiamento, onde pessoas se passavam por vacinados na apresentação de documentação. Para isso, para garantir um sistema antifraude, houve uma dupla validação.

A intenção dos pesquisadores, pós-evento teste, é que o método de estudo desenvolvido em Santa Catarina seja publicado em periódicos específicos e que sirva de referência nacional e internacional para outros estados e nações.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...