Aeronave do Governo de SC leva criança de 10 anos para tratamento pós transplante

Bianca conseguiu fazer um transplante de rim em janeiro de 2020, mas teve uma complicação e precisou ser levada para Porto Alegre na sexta-feira (19); madrasta disse que a menina está bem

Em janeiro de 2020, a Bianca Nunes Melo, de 10 anos, que mora em Pouso Redondo, no Alto Vale,  conseguiu fazer um transplante de rim. Tudo corria bem até que na sexta-feira, (19), a menina foi diagnosticada com uma bactéria e teve que retornar para o Hospital de Clínicas, que fica em Porto Alegre (RS). 

A pequena Bianca com a madrasta – Foto: Corpo de Bombeiros SC/Divulgação/NDA pequena Bianca com a madrasta – Foto: Corpo de Bombeiros SC/Divulgação/ND

Com a consulta marcada, a garota seguiu com a madrasta Normalice Felisbino em uma ambulância do Samu para o Aeroporto Helmuth Baungarten, em Lontras. No entanto, quando chegaram no aeródromo, tiveram uma surpresa desagradável. É que por conta do limite de passageiros, apenas Bianca poderia ser transportada na aeronave. Só que sem a madrasta perto, ela não conseguiria dar entrada no hospital.  Foi então, que começou uma verdadeira mobilização.

O Arcanjo-04 decolou de Florianópolis na manhã da sexta e pousou em Lontras para o transporte da garota, mas por conta da complicação no número de passageiros, a rota precisou ser alterada.

Leia também:

“Solicitamos ao Estado o apoio da aeronave Carajá, que tem capacidade para transportar até dez pessoas e que permitiria que a acompanhante da paciente fosse junto, resolvendo esse problema. Entretanto, essa aeronave estava retornando de São Paulo onde estava em manutenção. Aí começou toda a logística de interceptação do avião”, disse o tenente do Batalhão de Operações Aéreas, Álvaro Luiz Bilher Júnior.

Por conta do problema, o Arcanjo-04 retornou para a Capital do Estado. Depois, viajou com um recém-nascido do Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis, até o Hospital Infantil Jeser Amarante Faria, em Joinville. Lá também pousou o avião Carajá.

Com isso, um médico e um enfermeiro do GRAU (Grupamento de Emergência e Urgência) do Samu embarcaram rumo a Lontras, onde Bianca e Normalice foram interceptadas. De lá, seguiram para Porto Alegre.

Aeronave modelo Carajá levou cerca de uma hora para fazer o trajeto de 353 quilômetros até pousar no Batalhão de Aviação da Brigada Militar onde outra viatura do Samu aguardava para levar a família até o hospital.

“O sentimento que fica é de dever cumprido. Eu como pai, minha filha tem cinco anos, sentimento de satisfação em poder auxiliar e poder ajudar mais uma vida, em especial vida de uma criança, o sentimento é ainda mais gratificante, me sinto muito recompensado por cada atendimento desse”, disse o tenente do Corpo de Bombeiros, George de Vargas Ferreira.

Bianca e Normalice vão ficar mais alguns dias no Rio Grande do Sul, mas a pequena está bem.

Normalice e Bianca vão ficar alguns dias no Rio Grande do Sul – Foto: Corpo de Bombeiros SC/Divulgação/NDNormalice e Bianca vão ficar alguns dias no Rio Grande do Sul – Foto: Corpo de Bombeiros SC/Divulgação/ND

“Chegamos aqui e logo fomos atendidos, estavam todo mundo esperando por ela. Foi feito todos os procedimentos, ela está bem. Ela está se alimentando bem, está tomando bastante água. E as aeronaves eu só tenho a agradecer que a gente conseguiu chegar ligeiro aqui, que deu tudo certo. (…) Eu só tenho a agradecer mesmo, do fundo do meu coração, ao governador de SC, ele também me ligou de Florianópolis, perguntando dela”, agradeceu a madrasta.

+ Saúde