Alesc aprova projeto de lei para que pessoas com deficiência se vacinem em casa

Texto, de autoria do deputado Sergio Motta, foi votado nesta quarta-feira (20); agora, aguarda a sanção de Carlos Moisés

Um projeto de lei que permite que pessoas com deficiência recebam  vacinas em ambiente domiciliar foi aprovado, nesta quarta-feira (20), na Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina).

Sergio Motta é autor do projeto de lei que dá direito de pessoas com deficiência se vacinaremProjeto aguarda sanção do governador – Foto: Rodolfo Espínola/Agência AL/Divulgação/ND

O texto, de autoria do deputado Sergio Motta (Republicanos), agora aguarda a sanção do governador, Carlos Moisés (PSL), para começar a valer em território catarinense.

Caso sancionado, pessoas com deficiência motora, multideficiência, dificuldade de locomoção, doenças incapacitantes e degenerativas poderão receber em casa os imunizantes previstos no calendário de vacinação.

Dificuldades

De acordo com o deputado, a expectativa é garantir uma solução para pessoas que apresentam dificuldades de locomoção, seja ela permanente ou temporária.“Este direito do cidadão simboliza o que tanto falamos em defesa dos direitos humanos”, alertou.

Ele destaca que as vacinas servem para combater doenças e, principalmente, a transmissão daquelas que muitas vezes causam surtos.

“É importante que saibamos nos colocar no lugar do outro. Não podemos permitir que o sistema siga como está, tendo o cidadão que dar jeito para garantir sua saúde. Temos que estar atentos. Vamos trabalhar todos os dias pela melhoria na qualidade de vida das pessoas”, concluiu o parlamentar.

+

Saúde