Alto Vale do Itajaí tem mais de 100 focos do mosquito da dengue

Em Rio do Sul, alguns bairros são considerados infestados. Presidente Getúlio confirmou um caso de paciente que segue internado.

O Alto Vale do Itajaí também sente os reflexos do alerta vivenciado pelo estado em razão do aumento dos casos de dengue. Segundo levantamento da Gerência Regional de Saúde, os municípios contabilizam, atualmente, 116 focos do Aedes Aegypti.

Eles estão espalhados pelas cidades de Agrolândia, Agronômica, Aurora, Dona Emma, Ibirama, Imbuia, Ituporanga, Lontras, Mirim Doce, Pouso Redondo, Presidente Getúlio, Presidente Nereu, Rio do Oeste, Taió e Trombudo Central.  Em Rio do Sul, segundo o levantamento, os bairros  Boa Vista, Canoas e Budag já são considerados infestados pelo mosquito.

Em Presidente Getúlio, o caso de um paciente de 62 anos foi confirmado. Ele está internado, com complicações da doença, no hospital Doutor Waldomiro Colautti, de Ibirama. A Vigilância Epidemiológica investiga se o vetor é ou não do município, já que o homem esteve em várias cidades antes de contrair a doença.

Agentes da região trabalham para combater os 116 focos espalhados pela região – Foto: Divulgação/ASCOM Presidente Getúlio/NDAgentes da região trabalham para combater os 116 focos espalhados pela região – Foto: Divulgação/ASCOM Presidente Getúlio/ND

O portal ND+ fez um levantamento da situação dos principais municípios do Alto Vale do Itajaí.  Conforme a Gerência Regional de Saúde, nenhuma morte foi registrada por dengue na região. Alguns casos foram confirmados, segundo a enfermeira Valeria Petris, mas nenhum contraiu a doença no município

Presidente Getúlio

Com a confirmação de um caso e mais sete pacientes suspeitos, a Secretaria de Saúde de Presidente Getúlio intensifica a conscientização sobre os cuidados com a dengue. Trabalhos em escolas e empresas já são realizados diariamente.

Na escola, crianças aprendem sobre como evitar a proliferação do mosquito – Foto: Divulgação/Presidente Getúlio/NDNa escola, crianças aprendem sobre como evitar a proliferação do mosquito – Foto: Divulgação/Presidente Getúlio/ND

Frequentemente, são realizadas vistorias em 120 armadilhas e 26 pontos estratégicos como cemitérios, borracharias, ferros-velhos, terrenos baldios e empresas, que geralmente reúnem as condições ideais à proliferação do mosquito. Atualmente, o município está com cinco focos do mosquito.

“Precisamos da ajuda da população! Temos apenas dois agentes cuidando de um município inteiro. Então, com certeza, não damos conta e ficamos muito mais vulneráveis. Por isso, se cada um fizer sua parte, estaremos mais seguros”, diz Iara Possamai, secretária de Saúde.

Segundo a enfermeira, Ana Lúcia Dalla Vechia Henschel, recentemente um dos casos suspeitos foi descartado. Segundo ela, a vigilância está coletando amostras em vários bairros, após o caso confirmado.

Rio do Sul

Considerado infestado pela regional, Rio do Sul já teve, neste ano, 47 focos de mosquito Aedes Aegypti em diversos bairros. A situações mais preocupantes estão nos bairros Boa Vista, Canoas e Budag.

Além disso, a Secretaria de Saúde do município aguarda o resultado da coleta de amostras de sangue de cinco moradores que estão com suspeita de dengue.

Os pacientes estiveram em unidades de atendimento pública e particular de Rio do Sul e foram avaliados por médicos, sendo recomendado o encaminhamento de amostras que estão em análise no Lacen, em Florianópolis.

Os moradores com suspeita da doença são dos bairros Santana (3 casos), Albertina e Canta Galo. A Vigilância Epidemiológica está acompanhando os pacientes em contatos periódicos. E os sintomas são considerados normais.

Rio do Sul nunca teve caso positivo

Rio do Sul nunca teve nenhum caso positivo de pessoa doente por dengue, acendendo o alerta em toda a rede de saúde do município.

As regiões próximas aos locais onde estes pacientes suspeitos residem estão sendo monitoradas pelos agentes de combate à endemias da cidade, assim como há constante verificação das mais de 400 armadilhas instaladas em diversos pontos de controle.

Ituporanga

Ituporanga está em alerta com o aumento do número de focos do Aedes aegypti. Até o momento, vários já foram localizados em diferentes bairros da cidade.

A Secretaria de Saúde, tem reforçado a campanha de conscientização da população de que evitar a proliferação do mosquito também depende de cuidados adotados pelos moradores.

Ibirama

Em Ibirama, a Secretaria de Saúde, por meio da Vigilância em Saúde, intensifica o monitoramento das armadilhas espalhadas por diversos pontos do município. Desde janeiro de 2022, foram registrados 19 focos do mosquito, nos bairros Centro, Nova Stettin, Bela Vista, Ponto Chic e 25 de Julho. Não há registro de pacientes com a doença neste ano.

Ibiama tem 19 focos do mosquito – Foto: Divulgação/Rafael Beling/NDIbiama tem 19 focos do mosquito – Foto: Divulgação/Rafael Beling/ND

Atualmente Ibirama possui 100 armadilhas instaladas em 12 pontos estratégicos, monitorados constantemente, com objetivo de descobrir focos do mosquito, destruir e evitar a formação de criadouros e impedir a reprodução dos mesmos.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Blumenau e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...