Anvisa recomenda restringir voos de seis países para conter nova variante da Covid-19

Agência reguladora recomendou que voos e viajantes da África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue sejam restringidos temporariamente

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recomendou nesta sexta-feira (26) que voos e viajantes da África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue sejam restringidos temporariamente para conter a nova variante da Covid-19 identificada como B.1.1.529.

Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, terceiro maior aeroporto do Brasil com pouca movimentação de passageiros – Foto: MArcello Casal Jr/Agência Bras/NDAeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, terceiro maior aeroporto do Brasil com pouca movimentação de passageiros – Foto: MArcello Casal Jr/Agência Bras/ND

Na nota publicada, a Agência reguladora retoma a avaliação feita pela OMS (Organização Mundial de Saúde), que analisa a nova variante com maior taxa de transmissibilidade e provavelmente relacionada ao aumento contínuo de infecções pela Covid-19 nos países, cuja cobertura vacinal ainda é baixa.

Recomendações da Anvisa

Por isso, a Anvisa recomenda a suspensão imediata dos voos procedentes da África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue e a suspensão, em caráter temporário, da autorização de desembarque no Brasil de viajantes estrangeiros com passagem por esses países nos últimos 14 dias.

A Agência ainda faz a recomendação de quarentena, logo após o desembarque no Brasil, para viajantes brasileiros e seus acompanhantes legais, com origem ou histórico de passagem pelas seis nações nos últimos 14 dias que antecedem a entrada no País.

O órgão também pontua que os critérios para implantação e monitoramento da quarentena de viajantes em território brasileiro não estão sob a competência da agência, “devendo a operacionalização para cumprimento efetivo da medida ser, previamente, disciplinada pelo Ministério da Saúde em colaboração com as autoridades de saúde estaduais e municipais”, acrescenta.

“Até que as medidas restritivas sugeridas nesta Nota Técnica sejam implementadas, a Agência recomenda que seja reforçado o monitoramento, por parte das autoridades de saúde, de viajantes procedentes dos países citados, com desembarque no Brasil”, ressalta a nota da Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Bolsonaro descarta fechar aeroportos

O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou nesta sexta-feira (26) que “está vindo uma outra onda de Covid-19”.

A apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, no entanto, o chefe do Executivo descartou a possibilidade de fechar aeroportos do Brasil para tentar reduzir o contágio da doença.

“Tem que aprender a conviver com o vírus”, repetiu o presidente. “Não vai vedar, rapaz. Que loucura é essa? Fechou o aeroporto, o vírus não entra? Já está aqui dentro”, declarou Bolsonaro a um simpatizante, ao ser questionado sobre a chance de restringir a entrada de estrangeiros no país.

O apoiador citou a quarta onda de coronavírus na Europa, mas o presidente minimizou. “Você está vendo muita Globo”.

Países europeus fecham as fronteiras

A partir desta sexta-feira (26), o Reino Unido começa a impor barreiras aéreas contra a África do Sul e mais cinco países vizinhos depois de cientistas sul-africanos anunciarem a descoberta de uma nova cepa do coronavírus.

Regiões da Alemanha, além de França, Itália e Áustria, têm ampliado restrições sanitárias, e Portugal voltou a exigir máscaras em espaços fechados.

+

Saúde

Loading...