Ao menos 325 pessoas morreram por Covid-19 fora de UTIs e enfermarias em SC

Até o final da manhã desta quarta-feira (3), havia apenas um leito de UTI Covid adulto SUS disponível em todo o território catarinense

Com o colapso no sistema de saúde e atendimento debilitado, catarinenses estão perdendo a vida fora das unidades hospitalares. Desde a confirmação da primeira morte por Covid-19 em Santa Catarina, em 25 de março de 2020, até esta segunda-feira (1º), ao menos 325 pessoas já morreram infectadas pela doença fora de leitos de UTIs e enfermarias no Estado.

Fora de UTIs e enfermarias, 325 pessoas morreram por Covid-19 em SC – Foto: Willian Ricardo/NDFora de UTIs e enfermarias, 325 pessoas morreram por Covid-19 em SC – Foto: Willian Ricardo/ND

O número foi contabilizado pela plataforma Mapa Coronavírus do ND+, que se baseia em dados extraídos do governo do Estado. Se o dado já é alarmante, a situação pode ficar ainda pior.

Isso porque, segundo a última atualização da Secretaria de Estado da Saúde, às 11h, havia apenas um leito de UTI Covid adulto SUS disponível em todo o território catarinense.

A vaga é no hospital Bom Jesus, em Ituporanga, no Alto Vale do Itajaí. Ao todo, o Estado conta com 806 leitos de UTI destinados para tratamento de adultos contaminados com a doença. Desses, 805 estão ocupados, sendo 784 por pacientes confirmados com o vírus.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, este é o pior cenário da rede hospitalar do Estado desde o início da pandemia. A taxa atual é de 99,88%, com seis das sete regiões com ocupação de 100%.

Ao menos 251 pessoas aguardam leitos

Até a manhã desta quarta-feira, ao menos 251 pessoas aguardavam uma vaga nos hospitais. O número foi confirmado à reportagem pela SES. Para tentar garantir o atendimento a essa população, o Estado iniciou nesta quarta-feira (3) a transferência de pacientes para o Espírito Santo. 

ND+ questionou a SES sobre as mortes fora das internações e leitos de UTI. Em nota, enviada no fim da tarde, a Secretaria informa que “esses óbitos podem ter ocorrido nos domicílios, em UPAs, ILPIs ou em via pública”.

Confira o que diz a nota na íntegra da SES:

“É importante reforçar que esses óbitos podem ter ocorrido nos domicílios, em UPAs, ILPIs ou em via pública, o Sistema de Notificação SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE utilizado pelo Ministério da Saúde não detalha o local do óbito.

Os detalhes de casos específicos precisam ser verificados junto à prefeitura da cidade onde ocorreu o óbito sendo ela a responsável por inserir as informações sobre a causa morte do paciente.

Salientamos que as notificações dos óbitos são feitas pelos municípios. A Secretaria Municipal de Saúde é responsável por incluir os óbitos no Sistema de Informação de Mortalidade (SIM).

A SES reforça que o Governo do Estado vem trabalhando constantemente na ampliação dos leitos de UTI e clínicos e vem buscando contratação de leitos até mesmo na rede privada.”

Técnica de Enfermagem morreu aguardando leito

Entre as vítimas na fila por atendimento está a técnica de enfermagem Zeni Pereira Bueno, de 53 anos. Ela atuava em  Itajaí desde 2010 e, nos últimos dois anos, trabalhava na UPA Centro (Unidade de Pronto Atendimento) do CIS (Centro Integrado de Saúde). Zeni morreu na última sexta-feira (26) para a Covid-19.

Zeni faleceu aos 53 anos e deixa dois filhos – Foto: Secom Itajaí/DivulgaçãoZeni faleceu aos 53 anos e deixa dois filhos – Foto: Secom Itajaí/Divulgação

Zeni atuava na linha de frente do enfrentamento à pandemia de coronavírus. No início da última semana, ela foi internada na enfermaria no Hospital Santo Antônio em Itapema, com um quadro grave da doença.

De acordo com o Coren-SC (Conselho Regional de Enfermagem de Santa Catarina), ela aguardava por um leito na UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

+

Saúde