Crise na saúde faz Chapecó apertar medidas contra coronavírus

Lotação de leitos de UTI levou o prefeito João Rodrigues fechar casas noturnas, pubs e proibir eventos esportivos

O prefeito João Rodrigues (PSD) anunciou novas medidas para frear o avanço da pandemia do novo coronavírus em Chapecó, no Oeste de Santa Catarina. O decreto proíbe o funcionamento de casas noturnas, pubs, tabacarias, eventos esportivos e apresentações artísticas.

Crise na saúde faz Chapecó apertar medidas contra coronavírus – Foto: Prefeitura de Chapecó/NDCrise na saúde faz Chapecó apertar medidas contra coronavírus – Foto: Prefeitura de Chapecó/ND

As novas regras foram anunciadas nesta terça-feira (9), e seguem até a próxima sexta-feira (12). Rodrigues explicou que o alto número de pacientes internados em leitos de UTI e o descumprimento de regras de prevenção motivaram o governo municipal a tomar medidas severas. 

Bares, restaurantes e lanchonetes poderão ficar abertos, desde que as pessoas permaneçam sentadas e respeitem o distanciamento social. “O nosso interesse não é fechar nada, mas não podemos pecar pela omissão. O hospital público está praticamente lotado, o hospital privado começou a aumentar o número de pacientes internados”, comentou o prefeito. 

Projeto de Lei 

Ainda nesta semana, um PL (Projeto de Lei) deverá ser enviado à Câmara de Vereadores para definir regras de funcionamento de bares e restaurantes durante a pandemia. Desta forma, o empresário poderá ser punido em caso de descumprimento das medidas que constarem no PL. 

 “Aquele que descumprir as regras vai ter seu alvará cassado por um período de 15 dias, depois 30, e se persistir perderá o documento”, fala Rodrigues. O presidente da Câmara, João Marques Rosa (PSL), garantiu que o PL será votado em tempo recorde para dar celeridade ao cumprimento das regras. 

A 12ª Delegacia Regional de Polícia Civil vai auxiliar nas fiscalizações. Segundo o delegado regional, Ricardo Casagrande, o empresário que descumprir a lei municipal receberá uma notificação.

“Isso vai gerar um procedimento administrativo e também o proprietário vai responder um processo criminal”, afirmou. 

Quanto às festas clandestinas, todos os participantes dos eventos flagrados pela polícia vão responder por crime de desobediência. 

Coronavírus 

O último boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde demonstra que 830 pessoas aguardam resultado de exames, pois apresentam suspeita de infecção pela Covid-19. No entanto, o número de casos confirmados segue aumentando. Nesta terça-feira eram 1.381 casos. 

Estão internadas nos leitos de UTI e enfermaria dos dois hospitais 95 pacientes. Destes, 41 na UTI e 54 na enfermaria. Até agora, mais de 80 pacientes foram transferidos desde janeiro para outros hospitais da região por conta da lotação nos leitos do hospital público de Chapecó.

Acesse e receba notícias de Chapecó e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Saúde