Apenas 1,6% dos brasileiros são doadores de sangue

A maioria dos doadores de sangue é formada por homens, com mais de 29 anos de idade e o objetivo do Ministério da Saúde é ampliar esse público

Neste domingo (14), é celebrado o Dia Mundial da Doação de Sangue, e o Ministério da Saúde lançou na sexta-feira (12) a Campanha Nacional de Doação de Sangue 2020.

Com a medida, a pasta pretende manter as doações durante o período da pandemia do novo coronavírus, estabelecendo medidas de distanciamento social e de higiene nos hemocentros de todo o país. Segundo o ministério, o número de doadores reduziu durante a pandemia.

No Brasil, apenas 1,6% das pessoas são doadores de sangue – Foto: Fernando Frazão/NDNo Brasil, apenas 1,6% das pessoas são doadores de sangue – Foto: Fernando Frazão/ND

Segundo Rodolfo Duarte, coordenador de Sangue e Hemoderivados do Ministério da Saúde, todas as medidas estão sendo tomadas para evitar a contaminação pela Covid-19 nos locais de coleta.

A campanha nacional reforça que a doação é necessária para manter os estoques de sangue para atendimentos de emergência, cirurgias de grande porte e tratamento de pessoas com doenças crônicas. De acordo com os dados apresentados, 2020 é o 4° ano de queda no número de doações.

De acordo com o ministério, 1,6% da população brasileira (16 a cada mil habitantes) doa sangue. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que 1% da população seja doadora.

Pela análise de perfil, 60% dos doadores são homens e 40% são mulheres. 63% dos doadores são maiores de 29 anos. O objetivo do Ministério da Saúde é ampliar esse público.

Para doar, é preciso ter entre 16 e 69 anos, não ter ingerido ingerir álcool nas últimas 12 horas, pesar no mínimo 50 kg e estar em boas condições de saúde.

Autorização para doação

No ato de lançamento da campanha nacional, os representantes da pasta comentaram sobre uma decisão recente do STF (Supremo Tribunal Federal) que autorizou que toda a população LGTB – lésbica, gay, trans e bissexual – possa doar sangue.

Leia também:

Eles orientaram que, se alguém tiver problema para ser admitido em um hemocentro, deve registrar uma reclamação na Ouvidoria do SUS. O telefone é 136 e a ligação é gratuita.

Queda na doação

De acordo com a pasta, em 2019, houve queda de 2,5% no número de bolsas de sangue coletadas em todo o país. Em 2018, foram registradas 3.290.867 frequências de coletas. No ano passado, foram 3.271.824 coletas.

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

+ Saúde