Apenas o Amazonas tem alta na média diária de mortes por Covid-19

Nos últimos 14 dias, o estado do Norte do Brasil contabilizou crescimento de 212,5% na taxa de óbitos a cada 24 horas

Os 26 estados do Brasil e o Distrito Federal contabilizaram juntos, desde o começo da pandemia, 126.960 mortes causadas pela Covid-19, segundo boletim publicado pelo Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) nesta segunda-feira (7). Apesar de o ritmo de fatalidades no país ter diminuído na última semana, a realidade de cada estado é diferente.

Os casos de mortes por Covid-19 em cada estado são diferentes, apesar de no Brasil esse  número ter caído. – Foto: Pixabay/Reprodução

Uma análise feita pelo (M)Dados, núcleo de jornalismo de dados do Metrópoles, mostrou que apenas o Amazonas impulsionou, na última semana, a média móvel de novas mortes do país. Isso significa que o estado contabilizou um aumento de mais de 15% na quantidade de novos óbitos em relação aos 14 dias anteriores.

Depois de um longo período entre os estados com mais mortes, os amazonenses conseguiram controlar a doença e registraram queda no índice de falecimentos. Nos últimos 14 dias, no entanto, contabilizaram crescimento de 212,5% na taxa. Isso significa que há duas semanas, 9 pessoas morriam, em média, a cada 24 horas. O ritmo deu um salto significativo – atualmente são 28 vítimas por dia.

Confira o gráfico:

Na contramão, estão outras 14 unidades da Federação, principalmente as das regiões Norte e Nordeste. É o caso do Rio Grande do Norte, com queda de 57,7%. As 12 UFs restantes – como São Paulo e Minas Gerais – vivem um período de estabilidade, conhecido como platô, ou seja, o número de mortes não caiu nem subiu de modo significativo.

Há 7 dias, a realidade de alguns estados eram diferente. Ceará, Paraná e Roraima estavam em queda nos números, que voltaram a subir. No entanto, a situação de Tocantins, Rondônia, Rio de Janeiro e Amapá melhorou. Os últimos três estados estavam em alta na média diária de óbitos e, agora, registram queda na taxa. Tocantins vive estabilidade nesse quesito.

Semana epidemiológica

O número de mortos em decorrência da Covid-19 tem caído no Brasil. Na última semana epidemiológica, compreendida entre os dias 30 de agosto e 5 de setembro, o Ministério da Saúde contabilizou 5.741 óbitos, uma redução de 7,6% em comparação ao período de 23 e 29 de agosto, quando o país registrou 6.212.

Este é o menor registro em 16 semanas, quando o país perdeu 5.006 vidas entre 10 e 16 de maio.

Em relação aos infectados, os números mostram que foram 276.847 novos contaminados, um aumento de 4,9% em relação à semana imediatamente anterior.

Média móvel

Acompanhar o avanço da pandemia da Covid-19 com base em dados absolutos de morte ou casos está longe do ideal. Isso porque essas informações podem ter variações diárias muito grandes, principalmente atrasos nos registros. Nos fins de semana, por exemplo, é comum perceber redução significativa dos números.

Para diminuir esse efeito e produzir visão mais fiel desses dados, a média móvel é amplamente utilizada ao redor do mundo. A taxa, então, representa a soma das mortes divulgadas em uma semana dividida por sete. O nome “móvel” é porque varia conforme o total dos óbitos dos sete dias anteriores.

+

Saúde