‘Continuamos no intervalo recomendado’, diz Florianópolis sobre 2ª dose da Astrazeneca

Vigilância Epidemiológica do Município explicou que doses da vacina recebidas não são suficientes para vacinar todos que completaram o prazo de 10 semanas após a aplicação da D1

Florianópolis informou nesta terça-feira (14) que o intervalo entre a aplicação da primeira e da segunda dose da vacina contra a Covid-19 da Astrazeneca será aumentado para 12 semanas. De acordo com a Prefeitura, o motivo para a decisão foi o atraso no envio de doses do imunizante por parte do Ministério da Saúde.

“A informação que nós temos é que, por conta da falta de matéria prima, a Fiocruz não está conseguindo produzir vacinas em quantidade suficiente para dar conta de todas as segundas doses que deveriam estar acontecendo nesse momento”, disse a gerente de Vigilância Epidemiológica de Florianópolis, Ana Cristina Vidor.

Doses foram remanejadas pelo governo do Estado – Foto: Tânia Rego/Agência Brasil/Arquivo/NDDoses foram remanejadas pelo governo do Estado – Foto: Tânia Rego/Agência Brasil/Arquivo/ND

A gerente tranquilizou quem está aguardando a segunda dose da Astrazeneca na Capital e disse que “continuamos no intervalo recomendado, que é entre dez e 12 semanas. As doses não estão chegando em quantidade suficiente para vacinar todos os que já estão com dez semanas da primeira dose. Então, nós vamos priorizar quem está fechando as 12 semanas agora”.

Quem perdeu o prazo para a segunda dose também deve procurar os pontos de vacinação para completar o esquema vacinal. Segundo Ana, “é muito importante as pessoas entenderem isso, porque às vezes perderam o prazo e acham que perderam a oportunidade de vacinar. Quem já está há mais de 12 semanas, procure a gente que nós vamos dar prioridade para quem está atrasado”.

Saiba mais sobre as mudanças nos prazos na reportagem do Balanço Geral Florianópolis.

+

BG Florianópolis

Loading...