Após denúncia, Joinville explica problema em máquina de radioterapia

Questão veio à tona após paciente com câncer no reto relatar atraso no início do tratamento

A história de Carlos Roberto Garcia, de 66 anos, que em maio descobriu um câncer no reto, chamou a atenção nesta quarta-feira (22). Isso porque o aposentado denunciou atraso no início de seu tratamento, que deveria acontecer no Hospital São José, em Joinville, Norte de Santa Catarina.

Prefeitura diz que dois aparelhos para radioterapia estão sendo instalados – Foto: Carlos Jr./NDPrefeitura diz que dois aparelhos para radioterapia estão sendo instalados – Foto: Carlos Jr./ND

Segundo apurou a reportagem da NDTV, a máquina de radioterapia da cidade estaria quebrada. Com isso, quatro meses após o diagnóstico, ele ainda não havia começado as intervenções médicas.

Por lei, pacientes com diagnóstico de câncer têm que começar o primeiro tratamento pelo SUS (Sistema Único de Saúde) no prazo de até 60 dias, contados a partir do dia do diagnóstico.

Prefeitura se manifesta

Em resposta à reportagem, a Secretaria da Saúde de Joinville informou, nesta quinta-feira (23), que o antigo acelerador linear do Hospital São José está sendo substituído por dois equipamentos novos.

“O espaço físico exige obras especiais de adequação, tendo em vista que são equipamentos que emitem sinais radioativos”, diz a nota.

Segundo a prefeitura, o município tem dois convênios para pacientes que precisam de radioterapia: um no Hospital da Unimed, em Joinville, e outro no Hospital São José, de Jaraguá do Sul – local onde Carlos foi encaminhado e onde deve começar o tratamento entre uma semana e 15 dias.

“O encaminhamento dos pacientes para estes hospitais é feito de acordo com a condição do paciente e também mediante a disponibilidade de vagas conforme o contrato”, afirma o texto. Em agosto, de acordo com a prefeitura, 15 pacientes foram conduzidos para Jaraguá do Sul e 30 seguiram em Joinville.

“Não atendia as necessidades”

De acordo com a pasta, o acelerador linear – equipamento utilizado para radioterapia – era antigo e já não atendida as necessidades dos pacientes.

Carlos foi diagnosticado com câncer em maio de 2021Carlos foi diagnosticado com câncer em maio de 2021 – Foto: NDTV/Reprodução

“Desta forma, com a terceirização do serviço, verificou-se uma agilidade no acesso ao tratamento dos pacientes”, diz a nota. Segundo a prefeitura, os hospitais garantem acesso a tratamento em 60 dias.

A previsão é de que um dos novos equipamentos seja instalado até final deste ano; o segundo, em julho de 2022.

Relembre o caso

Carlos Roberto Garcia, de 66 anos, descobriu um câncer no reto em maio deste ano. Mesmo com a lei que obriga que o primeiro tratamento pelo SUS comece no prazo de até 60 dias, o paciente revela que ainda não iniciou as sessões de radioterapia, quatro meses após o diagnóstico.

Ele afirmou que o hospital até o encaminhou para ser atendido em Jaraguá do Sul, a cerca de uma hora de Joinville, mas que a viagem é bastante desgastante para quem está com saúde comprometida.

“Tu terminas o teu exame e tem que ficar aguardando os últimos acabarem, das 14h até 18h”, relata o aposentado. “É cansativo para quem está doente, né?”, questiona.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...