Após produção da Coronavac ser interrompida, Queiroga afirma: ‘É hora de união nacional’

Fabricação das vacinas do Butantan foi temporariamente paralisada por causa de falta de insumos, segundo anúncio nesta quarta-feira (7)

Em meio à escassez de insumos para fabricação da vacina Coronavac contra a Covid-19, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou esperar que o Butantan tenha a capacidade de produção de imunizantes restabelecida. O anúncio foi dado nesta quarta-feira (7).

Fabricação de vacinas pelo Instituto Butantan – Foto: Instituto Butantan/Divulgação/NDFabricação de vacinas pelo Instituto Butantan – Foto: Instituto Butantan/Divulgação/ND

A falta de IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) pode impossibilitar a fabricação de cinco milhões de doses da Coronavac, metade do previsto para o mês.

“Dificuldade de vacina não é só no Brasil; é hora de união nacional”, afirmou Queiroga, após um jantar com empresários, ministros e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na noite desta quarta-feira, 7, em São Paulo. Ele reconheceu a dificuldade de se conseguir vacinas, mas apelou para os esforços diplomáticos.

Queiroga disse ainda ter ouvido dos empresários que eles trabalharam junto com o governo para modernizar o sistema de saúde.

+

Saúde