Após retomar serviço de TeleCovid, Criciúma registra mais de 1,2 mil atendimentos em 24h

Sistema voltou a funcionar nessa terça-feira (18) e, segundo o secretário municipal de Saúde, houve fila de espera

A cidade de Criciúma, no Sul catarinense, retornou com o serviço de  TeleCovid na terça-feira (18) e nas primeiras 24 horas de operação já atendeu mais de 1,2 mil pacientes com sintomas respiratórios, de maneira virtual.

Em 24h, mais de 1,2 mil pacientes foram atendidos pelo TeleCovid de Criciúma – Foto: Divulgação/PMB/NDEm 24h, mais de 1,2 mil pacientes foram atendidos pelo TeleCovid de Criciúma – Foto: Divulgação/PMB/ND

“A procura foi ainda maior. A demanda de atendimentos está alta, por isso algumas pessoas ficaram na fila nesse retorno do serviço. Estamos organizando a equipe e se adequando a essa nova realidade, para que todos sejam atendidos e encaminhados da melhor forma possível”, explicou o secretário de Saúde, Acélio Casagrande.

O teleatendimento funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, e nos sábados e domingos, das 8h às 17h. O contato é feito por meio de mensagem no WhatsApp (48) 9 9154-6453. Na linha, uma equipe técnica formada por enfermeiros e médicos presta orientações e possíveis encaminhamentos.

O gerente de Vigilância em Saúde, Samuel Bucco reforça que o serviço passa a ser a porta de entrada do atendimento para pacientes com sintomas gripais. Dessa forma, as unidades devem ser procuradas apenas para atendimentos eletivos e realização de testes já agendados, ou por pacientes que apresentarem sintomas gripais graves.

“É importante que a população colabore, principalmente adotando as medidas de prevenção, para evitar a proliferação do vírus. Com tantos novos casos surgindo a cada dia, nossas equipes não conseguem atender a toda a demanda”, explicou.

Testagem para Covid-19

O gerente explica que, com o aumento da procura por atendimento, as testagens também foram intensificadas. “Não só em Criciúma, mas em todo o Estado, a demanda aumentou muito nas últimas semanas. Mudança que gerou alguns problemas, como a falta de insumos”, destacou.

Por conta disso, o governo do Estado encaminhou um ofício à todas as Secretarias Municipais de Saúde, na última segunda-feira (17), com medidas que devem ser adotadas a partir de agora.

O documento justifica que “em virtude da alta demanda de exames laboratoriais para o diagnóstico da Covid-19 no momento, e devido à escassez de insumos para a realização desses exames, ressalta-se a necessidade de uso racional dos testes, seguindo recomendação da OPAS (Organização Pan-Americana de Saúde)”. Dessa forma, a testagem deve priorizar:

  • Casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) que necessitem de hospitalização;
  • Pacientes com sintomas respiratórios que estejam nos grupos de risco para agravamento da doença (idosos, gestantes, puérperas, portadores de comorbidades);
  • Profissionais de saúde com sintomas respiratórios;
  • Triagem de pacientes que precisam ser hospitalizados por outros motivos;
  • Profissionais com sintomas respiratórios que fazem parte de serviços essenciais e presenciais, como profissionais de segurança.

O documento orienta ainda que algumas situações não configuram necessidade de realização de testes, como:

  • Indivíduos assintomáticos (inclusive contatos);
  • Como requisito para sair do isolamento;
  • Como pré-requisito para participação em eventos ou estabelecimentos que exijam.

Essas recomendações deverão ser seguidas até o momento que a disponibilidade de testes seja regularizada, e novas orientações sejam encaminhadas pelo Estado. “Por isso, pedimos que a população busque o atendimento apenas quando apresentar sintomas, necessitando de acompanhamento”, orientou Samuel.

+

Saúde

Loading...