Argentina decide reduzir voos de países estrangeiros devido à Covid-19

Governo argentino ainda prorrogou o fechamento de fronteiras até dia 9 de abril; somente residentes podem entrar no país

A Argentina decidiu reduzir, neste sábado (13), os voos que chegam de países estrangeiros devido à pandemia do novo coronavírus. A restrição do governo determina redução de mais 20% dos voos com o Brasil.

Passageiros  – Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil/Divulgação/NDPassageiros  – Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil/Divulgação/ND

O país vizinho já havia reduzido os voos entre o Brasil em 50%. O país vizinho também prorrogou o fechamento de fronteiras até 9 de abril. Somente residentes podem entrar no país.

O governo vizinho também reduziu a frequência dos voos provenientes do México e da Europa em 30%. O mesmo percentual também será aplicado aos voos que cheguem no país vindos de Peru, Equador, Colômbia, Panamá e Chile.

A Argentina decidiu também incrementar em mais 10% a restrição que já existia para os aviões vindos dos Estados Unidos.

Caberá ao Departamento de Imigração, à Agência Nacional de Aviação e ao ministério da Saúde argentinos, coordenar as ações necessárias para determinar os horários dos voos e o número de passageiros que poderão entrar diariamente no país.

Na decisão, o governo cita as novas variantes do coronavírus detectados na região e a presença de pessoas infectadas em países como Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai. O governo também voltou a fazer recomendações para que os argentinos adiem as viagens ao estrangeiro, em particular a maiores de 60 anos e a pessoas que façam parte de grupos de risco.

+

Saúde