Moacir Pereira

Notícias, comentários e análises sobre política, economia, arte e cultura de Santa Catarina com o melhor comentarista politico de Santa Catarina. Fundador do Curso de Jornalismo da UFSC. Integrante da Academia Catarinense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, é autor de 53 livros publicados.


Associação Catarinense de Medicina também repudia senadores da CPI do Senado

Nota de Repúdio critica os senadores, que tem o dever de defender a Constituição e as liberdades

A Associação Catarinense de Medicina uniu-se às fortes manifestações do Conselho Federal de Medicina e dos Conselhos Regionais contra atos da CPI da Pandemia, e emitiu também uma “nota de repúdio”, exigindo que o “respeito deve ser garantido pela Comissão”.

Assinada por seu presidente Ademar José Oliveira Paes Junior, a nota menciona o total desrespeito às médicas Mayra Pinheiro e Nise Yamaguchi na CPI do Senado e defende o Estado Democrático que garante o direito aos posicionamentos, ainda que contrários aos inquisidores.

Mayra Pinheiro, em depoimento à CPI da Covid, no Senado Federal – Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado/NDMayra Pinheiro, em depoimento à CPI da Covid, no Senado Federal – Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado/ND

Prossegue dando uma lição aos senadores, quando ressalta que o respeito à Constituição Federal de 1988 é dever dos parlamentares, sobretudo no que se refere à liberdade em atividade intelectual, artística, científica e de comunicação.

E lança um repto aos senadores para que cumpram efetivamente seu papel no Senado.

A “Nota de Repúdio da ACM” tem o seguinte teor:

“A Associação Catarinense de Medicina (ACM) manifesta seu repúdio ao desrespeito às médicas Mayra Pinheiro e Nise Yamaguchi, nas sessões da CPI da Pandemia, no Senado Nacional. No Estado Democrático, do qual os senadores devem ser porta-vozes, é imprescindível o direito ao posicionamento, mesmo que contrário aos que estão na função de coordenar e de inquirir os depoentes na Comissão Parlamentar de Inquérito.
O cumprimento à Constituição Brasileira (1988) também é dever dos parlamentares, eleitos pelo voto da população, no que tange à liberdade de expressão, definida principalmente nos incisos IV e IX do artigo 5º da Carta Magna, referindo-se a qualquer atividade intelectual, artística, científica e de comunicação.
Na certeza de que o respeito deve ser garantido a todo cidadão brasileiro, de forma ainda mais veemente quando presente no Congresso Nacional, a ACM conclama aos legisladores para que assumam de fato o seu papel, que deve ultrapassar qualquer posicionamento partidário ou ideológico, sob pena de agravar ainda mais as imensas dificuldades causadas pela pandemia da Covid-19.
Florianópolis, 03 de Junho de 2021.
Ademar José de Oliveira Paes Junior -Presidente ACM.”

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.