Bolos e sanduíches estão entre os mais pedidos da quarentena

O aumento na procura por doces repercutiu em toda a América Latina segundo a Ubereats; massas e pizzas também estão incluídos, entenda porquê

Em uma pesquisa divulgada pela Ubereats, o Brasil teve um aumento no pedido de bolos e sanduíches desde o início da pandemia. <a href=Segundo especialistas, o distanciamento social vem impactando o psicológico das pessoas e gerando mais ansiedade e distúrbios alimentares, o que está diretamente ligado ao consumo de alimentos saudáveis e não saudáveis. – Foto: Diane Bikel/ND" >
1 11

Em uma pesquisa divulgada pela Ubereats, o Brasil teve um aumento no pedido de bolos e sanduíches desde o início da pandemia. Segundo especialistas, o distanciamento social vem impactando o psicológico das pessoas e gerando mais ansiedade e distúrbios alimentares, o que está diretamente ligado ao consumo de alimentos saudáveis e não saudáveis. – Foto: Diane Bikel/ND

O aumento na procura por doces repercutiu em toda a América Latina, de acordo com o relatório. Além de sanduíches e bolos, massas e pizzas também estão na lista dos alimentos mais procurados no aplicativo – Foto: Pixabay/Reprodução
2 11

O aumento na procura por doces repercutiu em toda a América Latina, de acordo com o relatório. Além de sanduíches e bolos, massas e pizzas também estão na lista dos alimentos mais procurados no aplicativo – Foto: Pixabay/Reprodução

Segundo a nutricionista Flora Rosenthal, isso está ligado a um hormônio chamado cortisol, que ajuda a regular a fome. Quando ele está alto devido ao stress, pode aumentar a vontade de alimentos a base de carboidrato simples e gordura, como fast-food e doces. “E como esse momento de incerteza causa angústia e stress diário, o cortisol pode se elevar e predispor o aumento da procura por comidas como lanches e doces.” – Foto: Pixabay/Reprodução
3 11

Segundo a nutricionista Flora Rosenthal, isso está ligado a um hormônio chamado cortisol, que ajuda a regular a fome. Quando ele está alto devido ao stress, pode aumentar a vontade de alimentos a base de carboidrato simples e gordura, como fast-food e doces. “E como esse momento de incerteza causa angústia e stress diário, o cortisol pode se elevar e predispor o aumento da procura por comidas como lanches e doces.” – Foto: Pixabay/Reprodução

Além disso, ainda existe a cultura de utilizar a comida como um compensador emocional, tanto para o lado positivo quanto para o negativo. “A finalização de um trabalho, comida para comemorar, um dia estressante, comida para compensar”, explica. “Em um momento de pandemia, as pessoas tendem a utilizar ainda mais dessa cultura do reconforto pela comida” – Foto: Pixabay/Reprodução
4 11

Além disso, ainda existe a cultura de utilizar a comida como um compensador emocional, tanto para o lado positivo quanto para o negativo. “A finalização de um trabalho, comida para comemorar, um dia estressante, comida para compensar”, explica. “Em um momento de pandemia, as pessoas tendem a utilizar ainda mais dessa cultura do reconforto pela comida” – Foto: Pixabay/Reprodução

Flora pergunta: “Você come suas emoções?”. A nutricionista explica que a comida não vai solucionar o problema. “A angústia é por estar em casa, comer não vai resolver. É claro que de vez em quando é bom, mas quando descontar sentimentos na comida vira um hábito, pode ser prejudicial à saúde”. O alimento é fonte de nutrientes e traz boas lembranças, por isso se utiliza dele como reconforto, mas existem outras formas de nutrir essa carência. “Encontrar prazer em comidas saudáveis, por exemplo”, cita – Foto: Freepik/Reprodução
5 11

Flora pergunta: “Você come suas emoções?”. A nutricionista explica que a comida não vai solucionar o problema. “A angústia é por estar em casa, comer não vai resolver. É claro que de vez em quando é bom, mas quando descontar sentimentos na comida vira um hábito, pode ser prejudicial à saúde”. O alimento é fonte de nutrientes e traz boas lembranças, por isso se utiliza dele como reconforto, mas existem outras formas de nutrir essa carência. “Encontrar prazer em comidas saudáveis, por exemplo”, cita – Foto: Freepik/Reprodução

“É importante diferenciar a fome emocional da fome física”, diz a psicóloga, Marina Castilho Sorrentino. O momento incerto está gerando problemas emocionais e agravando o estresse. “A ansiedade é uma energia acumulada e a gente precisa gastar essa energia. Por isso é bom buscar por movimento, fazer exercícios físicos para tirar o foco da comida”. A psicóloga ainda lembra que ansiedade é boa, porém em equilíbrio. “Agora é tempo de se observar e buscar recursos para evitar os excessos, em tudo”, comenta – Foto: Freepik/Reprodução
6 11

“É importante diferenciar a fome emocional da fome física”, diz a psicóloga, Marina Castilho Sorrentino. O momento incerto está gerando problemas emocionais e agravando o estresse. “A ansiedade é uma energia acumulada e a gente precisa gastar essa energia. Por isso é bom buscar por movimento, fazer exercícios físicos para tirar o foco da comida”. A psicóloga ainda lembra que ansiedade é boa, porém em equilíbrio. “Agora é tempo de se observar e buscar recursos para evitar os excessos, em tudo”, comenta – Foto: Freepik/Reprodução

Os pais cozinham e a comida da vó traz carinho. “A gente cria uma memória agradável com a comida e quando ela se torna um refúgio, pode evoluir para um transtorno alimentar”, diz Marina – Foto: Freepik/Reprodução
7 11

Os pais cozinham e a comida da vó traz carinho. “A gente cria uma memória agradável com a comida e quando ela se torna um refúgio, pode evoluir para um transtorno alimentar”, diz Marina – Foto: Freepik/Reprodução

O consumo de álcool também aumentou. “Ele anestesia, de certa forma, nossa existência. Para evitar todos esses excessos é importante ir atrás do movimento e fazer coisas positivas para o nosso corpo” – Foto: Freepik/Reprodução
8 11

O consumo de álcool também aumentou. “Ele anestesia, de certa forma, nossa existência. Para evitar todos esses excessos é importante ir atrás do movimento e fazer coisas positivas para o nosso corpo” – Foto: Freepik/Reprodução

Flora ainda relembra que esses alimentos que tiveram um aumento nos pedidos geram mais ansiedade e por isso muitas pessoas caem no ciclo vicioso de comer para se reconfortar. “E esse ciclo só se repete” – Foto: Freepik/Reprodução
9 11

Flora ainda relembra que esses alimentos que tiveram um aumento nos pedidos geram mais ansiedade e por isso muitas pessoas caem no ciclo vicioso de comer para se reconfortar. “E esse ciclo só se repete” – Foto: Freepik/Reprodução

O estresse e a ansiedade estão ligados à falta de alguns nutrientes no nosso corpo. “Vitamina D, Zinco, Triptofano, que é um aminoácido, magnésio e as vitaminas do complexo B, quando em falta causam um nível maior de ansiedade”, explica flora. “Triptofano está presente também no cacau, então, em certos momentos, ele vai ser bom, mas claro, o chocolate 60% cacau ou mais”, diz – Foto: Pixabay/Reprodução
10 11

O estresse e a ansiedade estão ligados à falta de alguns nutrientes no nosso corpo. “Vitamina D, Zinco, Triptofano, que é um aminoácido, magnésio e as vitaminas do complexo B, quando em falta causam um nível maior de ansiedade”, explica flora. “Triptofano está presente também no cacau, então, em certos momentos, ele vai ser bom, mas claro, o chocolate 60% cacau ou mais”, diz – Foto: Pixabay/Reprodução

Especialistas indicam atividade física como uma boa alternativa para manter a saúde mental e física saudável. Uma pesquisa realizada na Unesp revela que o hormônio <a href=liberado nos exercícios físicos também podem ajudar a combater a Covid-19 – Foto: Pixabay/Reprodução" >
11 11

Especialistas indicam atividade física como uma boa alternativa para manter a saúde mental e física saudável. Uma pesquisa realizada na Unesp revela que o hormônio liberado nos exercícios físicos também podem ajudar a combater a Covid-19 – Foto: Pixabay/Reprodução

+

Bem-estar