Mundo Maria

maria.petrelli@ndtv.com.br Entretenimento, lifestyle, arte e tudo que move o mundo dos influenciadores nas redes sociais.


Mãe, fonte de amor e nutrição

Hoje celebramos o Dia das Mães e o Mundo Maria preparou essa matéria com muito carinho para todas as mamães do Mundo

Hello, Leitores!!! Hoje celebramos o Dia das Mães, aquela que nos deu a luz, ou nos acolheu como filho(a). Aquela que chora junto conosco, que se alegra conosco, que vibra com nossas conquistas, que nos educou e está sempre presente quando pode. Mesmo para aqueles que já não a tem presente, hoje é dia de festa no céu e de lembrar com carinho e muito amor.

Mas não vou escrever uma matéria clichê apenas homenageando. Tive um bate-papo com a Larissa Squizatto, mãe, formada em nutrição clínica, e que hoje traz uma facilidade para as mães que têm bebês passando pela fase de introdução alimentar. Vou mostrar como ocorre essa introdução alimentar, as fases do bebê e exemplos de papinha, todas explicadas pela nutricionista.

Hoje celebramos o Dia das Mães e o Mundo Maria preparou essa matéria com muito carinho para todas elas Mãe, fonte de amor e nutrição.- Reprodução: @freepik/ND

Reforçando mais uma vez o Dia da Mães, Larissa insere nesse contexto a mulher como o veículo capaz de trazer vida humana a esse mundo. São tantas as formas de nutrir os filhos, seja com o amor infinito, seja emprestando seu corpo durante a gestação oferecendo o primeiro lar com fontes de oxigênio, água e nutrientes, seja ofertando o leite materno ou artificial após o nascimento.

Hoje celebramos o Dia das Mães e o Mundo Maria preparou essa matéria com muito carinho para todas elas Larissa, a nutricionista dará dicas sobre a nutrição para bebês. -Reprodução: Acervo Pessoal Larissa/ND –

Ela também traz dicas para as famílias com bebês menores de 1 ano, passando pela fase de introdução alimentar, que nada mais é do que o processo de fazer o seu filho aprender a comer. E agora, como fazer isso?

É mais um novo processo que terá sucesso com amor e a confiança estabelecida entre o bebê e quem preparar, seja a mãe ou o cuidador(a) e muita paciência e persistência. Larissa contribuiu com orientações nutricionais e receitas de papinhas. Importante ressaltar que desde o nascimento até os 6 meses de vida é indicado o leite materno exclusivo ou fórmula artificial.

Como perceber se a criança está na fase de introdução alimentar

A nutricionista dá três dicas para perceber se está na hora de introduzir novos alimentos, além do aleitamento.

A primeira ideia é entender que o sistema digestório nessa idade ainda não está completamente formado, pode-se notar ausência de dentição por exemplo, logo é preciso observar o desenvolvimento do bebê na pega da mão, a posição sentado, a evolução do “engolir” e isso gera segurança aos pais na hora de oferecer o alimento.

Com essa percepção, pode-se iniciar a introdução alimentar com a utilização de alimentos nas formas líquidas e depois pastosa, e ir evoluindo o tamanho do alimento oferecido. Nessa fase há o alto risco de engasgo e por isso é melhor alimentar o bebê com o tronco mais ereto e na posição mais sentado. Também ocorre a regurgitação, portanto devemos respeitar o tempo após a refeição e a necessidade de o bebê arrotar.

Há outra percepção que é a sensibilidade da digestão, sendo crucial utilizar alimentos naturais, sem corantes, temperos artificiais e ingredientes processados, e sem excesso de gorduras. Identifica-se nesse período também a facilidade de evacuação amolecida devido a limpeza do próprio corpo, a regulação hídrica e a absorção dos ingredientes. E outra ideia legal, é comer junto com o bebê para assim dar o exemplo.

Mãe, fonte de amor e nutriçãoMãe nutrindo de forma correta o seu bebê – Foto: @taradonne/Divulgação/ND

A segunda dica é ter a certeza de que esse organismo é neutro em sabores, pois o bebê só conhece o sabor do leite materno ou da fórmula artificial. É após os 6 meses de vida que iniciamos a formação do paladar, então deve-se oferecer os alimentos simples, do jeito mais natural, onde não será utilizado nenhum tipo de realçador de sabor como sal, açúcar e mel.

A terceira ideia é sobre pensar na organização de nutrientes a serem oferecidos ao bebê, que necessita de carboidratos, de boas gorduras, de proteínas, de sais minerais e de vitaminas, e também começa a necessitar de água.

Pode-se iniciar essa experiência com frutas bem higienizadas e utilizar a polpa, 1 a 2 vezes ao dia nos intervalos do leite materno ou artificial e água em outros intervalos das refeições. As indicações incluem pera, maçã, banana, melão ou mamão.

Organizando os alimentos

Agora, vamos à organização dos alimentos complementares após os 6 meses de idade. Aos bebês que recebem o leite materno ou o leite artificial deve ser oferecido três vezes ao dia alimentos complementares no meio da manhã, almoço e meio da tarde.

Aos bebês já desmamados (os que não recebem mais o leite materno e nem artificial), indica-se oferecer cinco vezes ao dia os alimentos complementares, adicionando uma refeição no início da manhã e outra no início da noite.

A partir dos 10 meses de vida já é interessante preparar o bebê para entrar na rotina alimentar da família, observando a evolução do sistema digestório, motor e cognitivo do bebê, assim como a evolução da consistência dos alimentos oferecidos.

Esses demais alimentos devem ser bem cozidos no vapor ou com pouca água para manter os nutrientes e amassados com o garfo. Conforme o desenvolvimento da criança, o alimento passa a ser menos amassado, e pode ser  picado, desfiado e até em pedaços para segurar com as mãos, e com a ajuda de colher e de copinho a mãe/pai/cuidador podem entregar o alimento ao filho.

É muito importante variar as frutas, os vegetais e as carnes diariamente. Os alimentos podem ser cozidos juntos e apresentados ao bebê de forma separadas ou juntas, o colorido desperta a curiosidade e possibilita a absorção de vários nutrientes diferentes.

Portanto, quanto mais colorido o prato mais nutrientes disponibilizamos para criança consumir, o que facilita suprir todos os nutrientes necessários para o perfeito desenvolvimento humano. A variedade de alimentos ofertada traz, além das cores, novos aromas, novas consistências, texturas e novos sabores.

E para finalizar, Larissa sugere algumas papinhas bem nutritivas, feitas a base de:

  • batata, cenoura e frango;
  • moranga, espinafre e carne;
  • feijão, beterraba e fígado;
  • abóbora com caldinho de laranja;
  • banana com caldinho de manga.

“Mãe, mulher forte e destemida, é um coração que ama infinitamente, é o afago da alma, é quem cuida, ensina e inspira. É a oração mais forte que alguém pode fazer por você, é aquela que cura com um abraço, que sara machucado com um beijo, pois é a melhor mulher do mundo.

Também chamada de mamãe, mãezinha, manhê, mainha, mom, mommy e mamusca.” Substantivo de mães com um borogodó dessa definição feito pelo Mundo Maria

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Diversa+ na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...