Moacir Pereira

Notícias, comentários e análises sobre política, economia, arte e cultura de Santa Catarina com o melhor comentarista politico de Santa Catarina. Fundador do Curso de Jornalismo da UFSC. Integrante da Academia Catarinense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, é autor de 53 livros publicados.


Bispo de SC morre no Mato Grosso de Covid-19

Natural de São Ludgero, Dom Justino Kestering, atuava em Rondonópolis

Governo do Mato Grosso e CNBB emitiram notas oficiais – Foto: DivulgaçãoGoverno do Mato Grosso e CNBB emitiram notas oficiais – Foto: Divulgação

O bispo de Rondonópolis, o catarinense Dom Juventino Kestering, faleceu hoje no Mato Grosso, outra vítima do Covid-19.  Nascido em São Ludgero foi colega no Seminário do escritor e professor Deonisio da Silva, da Academia Catarinense de Letras. Tinha 74 anos de idade.

O governo do Mato Grosso emitiu a seguinte nota de pesar:
“ O Governo de Mato Grosso lamenta o falecimento de Dom Juventino Kestering, bispo da diocese de Rondonópolis e Guiratinga, neste domingo (28.03), aos 74 anos, por complicações da Covid-19. Dom Juventino assumiu a paróquia de Rondonópolis em 1997 e desde então atuava religiosamente na região. O governador Mauro Mendes e a primeira-dama Virginia Mendes expressam pesar pelo falecimento do religioso.”

A CNBB também divulgou nota, acrescendo dados biográfico do religioso:  “Dom Juventino Kestering nasceu no dia 19 de maio de 1946, em Morro do Gato, hoje Morro do Cruzeiro, município de São Ludgero, região sul de Santa Catarina. Ingressou no seminário Nossa Senhora de Fátima, em Tubarão (SC), no dia 12 de fevereiro de 1959, quando tinha 13 anos. Estudou filosofia e teologia em Curitiba (PR); foi ordenado padre pelo bispo Dom Anselmo Pietrulla, no dia 14 de julho de 1973, na igreja matriz São João, em São Ludgero, e celebrou a primeira missa na igreja de São Pio X, em sua terra natal. Logo assumiu a missão de vigário paroquial na catedral diocesana de Tubarão.

No Regional Sul 4 da CNBB, quando ainda era padre da diocese de Tubarão, dom Juventino foi professor do Instituto Teológico de Santa Catarina (ITESC) e coordenador regional da Comissão para a Catequese. Em nível nacional, também assessorou a Comissão para a Animação Bíblico-catequética da Conferência Episcopal.

Em 19 de novembro de 1997, o então padre Juventino Kestering foi nomeado bispo diocesano de Rondonópolis (MT) pelo Papa João Paulo II e recebeu a Sagração Episcopal no dia 8 de março de 1998, na catedral de Tubarão, pela imposição das mãos de dom Hilário Moser, SDB, assumindo como lema ‘Enviou-me para evangelizar’.

Em 22 de março de 1998, dom Juventino tomou posse como bispo diocesano de Rondonópolis. Em seu episcopado aconteceram as mudanças geográficas com anexação de mais cinco paróquias, passando a ser diocese de Rondonópolis-Guiratinga.

Em sua missão episcopal, dom Juventino Kestering atuou como membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética da CNBB; membro do Departamento Missões e Espiritualidade, ao qual está ligada a seção Catequese, do Conselho Episcopal Latino Americano (Celam); e referencial da Catequese no Regional Oeste 2 da CNBB.”

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.