Bolsonaro diz que comitiva vai a Israel para conhecer spray contra Covid-19

Em SC, presidente e filho falam do spray nasal EXO-CD24 contra casos graves de coronavírus e anunciam comitiva brasileira a Isarel

Em mais um vídeo postado em suas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro, de folga em terras catarinenses, falou do preço da gasolina e também de um remédio para Covid-19.

“Continuamos discutindo a questão do preço do combustível, vai ter novidade essa semana com toda certeza, espero que tenham novidades boas”, disse o presidente ao lado do filho Eduardo Bolsonaro, na praia do Forte, em São Francisco do Sul.

Bolsonaro e o filho Eduardo na praiaJair Bolsonaro e o filho Eduardo falam sobre o medicamento desenvolvido em Israel  – Foto: Reprodução vídeo

“Também estamos acertando uma comitiva que vai a Israel, do spray  nasal EXO-CD24, para curar a Covid-19. Se deus quiser, vai dar certo”, continua o presidente. O spray está sendo desenvolvido pelo Centro Médico Ichilov de Tel Aviv, em Israel.

“Pelo que tudo indica, o tratamento da Covid em casos graves, através desse spray, tem tudo para dar certo”, acrescentou o presidente. Segundo ele, o Brasil deve participar da próxima etapa de testes do produto, que está na fase 3.

O filho Eduardo Bolsonaro, que estava ao lado do pai na praia, complementou: “Tem tudo para dar certo. Esse medicamento é uma novidade em Israel, mas muito promissor, é quase 100% de eficiência. A gente não está mais falando da fase precoce da doença, quando a pessoa é infectada com a Covid. A Grécia já buscou Israel.  O centro médico de Israel desenvolveu esse medicamento por meio de estudos de mais de 10 anos, estudando uma doença autoimune, e agora a Grécia foi até Israel buscar essa novidade.”

“Israel nesse momento está estendendo essa pesquisa para pouco mais de uma centena de pessoas em Israel, para ir realmente fazer estudo”, complementou Eduardo Bolsonaro.

“Fez teste em 30 pessoas em estado grave, 29 delas 5 dias depois foram para casa. Uma outra pessoa demorou um pouco mais, mas ficou curada também. A gente não quer falar em 100% porque é um universo muito pequeno de pessoas testadas, várias vão receber o tratamento com esse medicamento. Já conversamos com a Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária]. Uma vez entrando a documentação de praxe, para o tratamento experimental, eu acredito que a Anvisa tem tudo para dar o sinal verde e começarmos também a testar no Brasil”, conclui o presidente.

Jair Bolsonaro e família passam os dias de folga de Carnaval em São Francisco do Sul, Litoral Norte de SC. Estão hospedados no Forte Marechal Luz, na Praia do Forte. A comitiva deve ir embora nesta quarta-feira (16), após o almoço.

Inpi

Em seu site, o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi) disponibiliza informações de diversas fontes sobre pesquisas pelo mundo em tecnologias relacionadas à Covid-19, inclusive medicamentos. De acordo com o Inpi, em publicação no dia 8 de fevereiro, os testes de fase 1 com o EXO-CD24 já foram concluídos.

“O hospital anunciou que a substância EXO-CD24 foi administrada a 30 pacientes cujas condições eram moderadas ou piores e todos os 30 se recuperaram – 29 deles em três a cinco dias. O medicamento combate a tempestade de citocinas, que se acredita ser responsável por muitas das mortes associadas à doença. Ele usa exossomos – pequenos sacos transportadores que transportam materiais entre as células – para entregar uma proteína chamada CD24 aos pulmões, que o grupo de estudo está pesquisando há décadas. Esta proteína ajuda a acalmar o sistema imunológico e conter a tempestade”, diz a publicação.

O texto explica que o medicamento é inalado uma vez por dia durante alguns minutos, durante cinco dias, sendo direcionado diretamente para os pulmões.

O Inpi destaca que, até o momento, não há vacina ou tratamento farmacológico aprovado para covid-19. As vacinas que estão sendo aplicadas em diversos países foram autorizadas apenas para uso emergencial e ainda estão sendo estudadas.

Assim como as vacinas, os estudos de medicamentos são divididos em várias etapas e, no Brasil, precisam de autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para acontecerem. Na lista dos ensaios clínicos autorizados pela Anvisa ainda não consta o spray EXO-CD24. Na fase 3 de testes clínicos, o medicamento é administrado a uma grande quantidade de pessoas, normalmente milhares, para que seja demonstrada a sua eficácia e segurança.

Acesse e receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Saúde