Brasil recebe 1,7 milhão de doses do Covax para iniciar vacinação de novos grupos; confira

Carregamento faz parte de um lote de cerca de 4 milhões de doses que chega neste fim de semana por meio do consórcio

Pousou às 4h18 deste domingo (2), em Guarulhos (SP), um voo com 1,73 milhão de doses de vacinas contra Covid-19 da Oxford/AstraZeneca, entregues ao Brasil por meio do consórcio Covax Facility.

Avião pousou em Guarulhos (SP) no início desta manhã – Foto: Record TV/ReproduçãoAvião pousou em Guarulhos (SP) no início desta manhã – Foto: Record TV/Reprodução

O carregamento faz parte de um lote de 3,76 milhões de doses desse imunizante que chegam ao país neste domingo. O restante será enviado em um voo proveniente de Amsterdã, nos Países Baixos, que deve pousar em Guarulhos por volta das 17h.

Novos grupos para imunização

Com as 220.800 doses recebidas no sábado (1º), o total enviado pelo Covax Facility neste fim de semana ao Brasil gira em torno de 4 milhões de vacinas. As novas doses vão garantir a primeira dose no último grupo de idosos que está sendo vacinado: de 60 a 64 anos.

Também servirão para iniciar a imunização de pessoas com comorbidades, gestantes, puérperas e indivíduos com deficiência permanente, além de continuar a campanha para forças de segurança e salvamento e Forças Armadas.

A última atualização do SUS mostra que 29,3 milhões de pessoas já receberam a primeira dose (38% do grupo prioritário) e 13,7 milhões completaram as duas doses (17,7% do grupo prioritário).

A diferença se deve, em boa parte, porque a vacina Oxford/AstraZeneca tem um intervalo de 12 semanas entre as doses. Ou seja, quem foi vacinado em março só receberá o reforço em junho.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, prometeu vacinar todos os 77,2 milhões de brasileiros que fazem parte dos grupos prioritários até setembro.

Mais vacinas

O país também recebeu nesta semana 1,1 milhão de doses da vacina da Pfizer/BioNTech, que será distribuída somente para as capitais neste primeiro momento devido à necessidade de refrigeração ultrafria (-70°C).

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), assim como a agência reguladora dos EUA, aprovou o armazenamento da vacina da Pfizer a -20°C, mas por um período de 14 dias.

Desta forma, o PNI (Programa Nacional de Imunizações) enviará aos estados as doses de reforço — que deve ser aplicada após três semanas — posteriormente.

O Brasil tem um acordo de 100 milhões de doses da Pfizer, com expectativa de fechar um novo contrato para mais 100 milhões.

+

Saúde