Câncer x Covid-19: Pandemia ocasiona diagnósticos tardios de câncer e doença avança

Mais do que nunca, é preciso investigar, prevenir e tratar o câncer, cumprindo as medidas de prevenção da transmissão do coronavírus

Covid-19 ocasionou atraso nos tratamentos do câncer. É hora de investigar, prevenir e tratar – Foto: DivulgaçãoCovid-19 ocasionou atraso nos tratamentos do câncer. É hora de investigar, prevenir e tratar – Foto: Divulgação

A pandemia do COVID-19 ocasionou mudanças comportamentais de isolamento e redução da circulação de pessoas que comprometeram os cuidados com a saúde em outras esferas, como do câncer e das doenças cardiovasculares.

Em relação ao câncer, o diagnóstico precoce, que nem sempre é fácil, tornou-se ainda mais desafiador pela redução da busca das pessoas por consultas e por exames para investigação dos sintomas iniciais.

Quem constata e o médico oncologista clínico, Dr. Lucas Milton Dressler de Espíndola, da Noova Oncologia, referência no tratamento do câncer em Santa Catarina.

Dr. Lucas Espíndola, médico oncologista clínico – Foto: DivulgaçãoDr. Lucas Espíndola, médico oncologista clínico – Foto: Divulgação

“O que se viu em boa parte do ano de 2020 foi uma redução de pacientes novos nos consultórios dos oncologistas. E isso, infelizmente, não foi por uma boa causa, pois os casos de câncer não desapareceram, mas passaram a ser diagnosticados mais tardiamente, uma vez que as pessoas deixaram de procurar a assistência médica precocemente por receio de entrar em contato com o vírus”, observa.

“Hoje, a situação é inversa, há um aumento do número de pessoas que chegam ao consultório, porém com doença mais avançada do que víamos habitualmente. Muitas, diagnosticadas por sintomas que não melhoraram após vários meses”, constata.

Investigação do câncer pode ser feita com segurança diante da Covid-19

O cenário de diagnóstico tardio com doença avançada é considerado muito desfavorável, pois compromete a qualidade de vida do paciente e pode reduzir as opções terapêuticas.

“É importante ressaltar que a investigação do câncer, seja por meio da consulta na qual o médico analisa os sintomas, ou seja, por exames de rastreio como papanicolau, mamografia, endoscopia, colonoscopia, já é feita de forma segura em boa parte das clínicas”, diz o especialista.

Medidas de prevenção da transmissão da Covid-19, como higienização das mãos, disponibilização de álcool gel, gerenciamento de agenda para evitar aglomerações, distanciamento entre pessoas durante o atendimento e uso de máscara, já estão implantadas como rotina nos serviços médicos.

 Aposta no avanço da vacina

Vacina que começou este ano é aposta para que pacientes procurem mais os oncologistas – Foto: DivulgaçãoVacina que começou este ano é aposta para que pacientes procurem mais os oncologistas – Foto: Divulgação

O ano de 2021 vem trazendo uma medida adicional que aumenta a segurança, tanto de quem atende quanto de quem é atendido que é a vacinação dos profissionais de saúde.

“Eu e diversos colegas de trabalho já fomos vacinados, o que reduz muito a chance de infecção e transmissão da Covid-19, evitando que nossos pacientes precisem parar o tratamento ou deixar de se cuidar por causa do vírus”, afirma o médico.

“Essa é, sem dúvida, a medida que traz mais segurança no cuidado a quem nos procura e que esperamos que esteja disponível de forma mais abrangente para a população o mais rápido possível”, diz Dr. Lucas Espíndola da Noova Oncologia.

Noova Oncologia

Dr. Lucas Milton Dressler Espíndola

Oncologia Clínica (19738) – CRM/SC 18971

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

 

Acesse e receba notícias da Grande Florianópolis pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo

+

Saúde Mais