Caso AME Jonatas: menino de 5 anos morre em SC após luta contra a doença

Publicação feita pelos pais confirmou a morte do pequeno Jonatas após sofrer uma parada-cardíaca

O menino Jonatas Openkoski, do caso AME Jonatas, morreu na tarde desta segunda-feira (24), aos 5 anos, após sofrer uma parada cardíaca.  A informação foi publicada e confirmada pelos pais do menino nas redes sociais.

Os pais do bebê confirmaram a morte na noite de segunda-feira (24) – Foto: Reprodução InternetOs pais do bebê confirmaram a morte na noite de segunda-feira (24) – Foto: Reprodução Internet

“É com muito pesar que viemos comunicar que nesta manhã nosso anjinho Jon nos deixou. Nosso pequeno grande guerreiro acordou bem, sorriu, tomou seu leitinho e voltou a dormir. Dormiu o sono eterno ocasionado por uma parada cardíaca”, relatam os pais na publicação.

Homenagens

Na internet, familiares e pessoas que acompanhavam a luta do menino contra a doença, se despediram e prestaram homenagens.

Tiago Souza escreveu que o menino foi um guerreiro. “O céu está em festa hoje, pois Deus colheu a sua flor mais linda. Descanse em paz meu amor”, publicou.  Já Karina Passos escreveu que Jonatas foi “a porta para muitas pessoas conhecerem essa doença, que pra muitos era desconhecido”.

O menino tinha 5 anos e lutava contra doença desde 2017 – Foto: InternetO menino tinha 5 anos e lutava contra doença desde 2017 – Foto: Internet

AME Jonatas

Em  março de 2017, Jonatas foi diagnosticado com AME (Atrofia Muscular Espinhal).  Para o tratamento era necessário importar vacinas dos Estados Unidos, no valor total de R$ 3 milhões. A família não tinha condições de custear as despesas e resolveu  fazer uma campanha para arrecadar o valor. O caso teve repercussão nacional.

Em maio de 2017, o casal anunciou nas redes sociais que havia conseguido o valor, mas continuaria a arrecadação para poder cobrir gastos com os equipamentos que mantinham o menino vivo em casa.

Denúncia de negligência em hospital

Recentemente, no último dia 12, os pais de Jonatas fizeram uma denúncia nas redes sociais na qual relatavam sobre negligência de um hospital infantil de Itajaí, no Litoral Norte de Santa Catarina.

Na ocasião, a família informou que ele foi atendido na unidade para a troca de prótese tráqueo-esofágica e que os médicos “cortaram o pescoço” do menino.

+

Saúde

Loading...