“Esse medo é desnecessário”, diz catarinense vacinado contra a Covid-19 na Alemanha

Ivanor Kistenmacher é natural de Brusque e mora na Alemanha há 30 anos. Ele recebeu a vacina da Pfizer/BioNTech e conta como foi o processo até a imunização

O brusquense Ivanor Kistenmacher, 50 anos, faz parte do seleto grupo de catarinenses que já foi vacinado contra o coronavírus. O fisioterapeuta mora na Alemanha há 30 anos e recebeu a imunização contra a Covid-19 na última terça-feira (5).

Catarinense recebe imunização contra o coronavírus na Alemanha – Foto: Arquivo PessoalCatarinense recebe imunização contra o coronavírus na Alemanha – Foto: Arquivo Pessoal

Ele conta que o governo alemão começou a vacinar a população ainda em dezembro do ano passado. Mas, por enquanto, apenas idosos acima de 80 anos e profissionais da saúde podem receber a imunização no país.

O catarinense se enquadra no segundo grupo prioritário, já que possui uma clínica de fisioterapia e chega a atender quase 100 pessoas por semana.

Apesar de ter ficado receoso no início da campanha de vacinação, o fisioterapeuta revela que refletiu e entendeu que seria importante ser imunizado contra o coronavírus – e fala do sentimento depois de ter sido vacinado.

“Para mim foi um marco, foi uma experiência muito boa. Como a gente toma tanta vacina, fala-se muito das vacinas, de muita coisa, mas eu acho assim, toda carne é vacinada, todo alimento hoje em dia já está com muito agrotóxico, e eu acho que a gente tem que lutar para ter menos agrotóxicos e vacinas nos animais. Então, esse medo é desnecessário, não tive esse medo, e acho que realmente a vacina vai ajudar. Eu fui vacinado e estou muito feliz por isso”, comemora o catarinense, abrindo um grande sorriso.

Ivanor recebeu a vacina desenvolvida pela farmacêutica Pfizer em parceria com a BioNTech.

Ivanor exibe carteira de vacinação com registro da vacina contra Covid-19 – Foto: Arquivo PessoalIvanor exibe carteira de vacinação com registro da vacina contra Covid-19 – Foto: Arquivo Pessoal

Processo para receber a vacina

Para receber a imunização contra o coronavírus, Ivanor conta que foi necessário fazer um cadastro on-line. Nesta etapa ele precisou responder uma série de perguntas e apresentar documentos que comprovassem a atuação junto à pacientes que estão nos grupos de risco.

Após o cadastro, o governo alemão então analisa se o candidato atende todos os requisitos e, em caso positivo, é agendada data e horário para aplicação da dose. Segundo o catarinense, a vacina é aplicada em uma central de atendimento. Lá o paciente passa por uma triagem e recebe uma série de explicações sobre a Covid-19 antes de receber a imunização.

“É um local muito grande e bem preparado. São várias salas  separadas, parece uma grande feira. Eles fazem algumas perguntas, conferem os documentos, carteira de vacinação e explicam tudo sobre a vacina”, relata o fisioterapeuta.

>> Leia também: Ultrafreezers da UFSC podem armazenar vacina como a da Pfizer

Vacina Pfizer-BioNTech

A vacina Pfizer-BioNTech foi a primeira a receber a aprovação emergencial fornecida pela OMS (Organização Mundial de Saúde) desde o início da pandemia. A aprovação foi registrada em 31 de dezembro de 2020.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Blumenau e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde