Chapecó inicia semana com 10,5 mil casos de Covid-19

Mais de 90 pessoas morreram em decorrência do novo coronavírus

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, o município de Chapecó registrou 10.593 casos de infecção. Destes 92 pacientes morreram e 85 estão internados em hospitais do município.

Chapecó inicia semana com 10,5 mil casos de Covid-19 – Foto: MB Comunicação/DivulgaçãoChapecó inicia semana com 10,5 mil casos de Covid-19 – Foto: MB Comunicação/Divulgação

Mais de 40,7 mil testes foram realizados pelo município desde março, sendo que 28.979 tiveram resultado negativo, conforme dados da Secretaria Municipal de Saúde. 

Ainda 1.521 pacientes com sintomas suspeitos aguardam diagnóstico de exame. De 23 a 30 de novembro, 799 novos casos foram diagnosticados em Chapecó e sete mortes. 

Dos mais de 10,5 mil casos de Chapecó, 9.452 pacientes já são considerados recuperados da doença, ou seja, não apresentam mais sintomas. 

Características da doença 

A maioria dos infectados pela Covid-19, em Chapecó, são pessoas entre 20 e 39 anos de idade que representam 55% do total de casos positivos no município. Idosos com mais de 60 anos totalizam 8% entre as pessoas acometidas pelo vírus.

Em relação ao sexo, dentre as pessoas infectadas, os homens apresentam um percentual maior que as mulheres, representando 51% do total de casos registrados.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, houve um crescimento no número de infectados a partir do dia 8 de outubro, quando houve registro de 203 casos ativos. Em 24 de novembro foram 1.065 registros, sendo esse o maior número já registrado. 

Comparado há 30 dias atrás, o aumento de casos ativos foi de 343%. Seguindo a linha de tendência, a média diária calculada seria de 374 casos ativos. A maioria dos pacientes estão localizados no bairro Efapi e Santa Maria. 

Mortes 

Chapecó registrou o primeiro óbito por Covid-19 em 17 de maio de 2020. A taxa de letalidade (relação entre o número de óbitos e o número de pessoas doentes) é de 0,88%. 

Outro aspecto é a presença de comorbidades entre os óbitos, entre as mais prevalentes estão a Hipertensão Arterial Sistêmica com 71%, seguido por Diabetes Mellitus com 38% e pela Obesidade, presente em 33% dos casos de óbitos. 

Os óbitos sem comorbidades conhecidas representam 7% do total registrado. Dentre as principais comorbidades, algumas pessoas apresentavam mais de uma doença associada. A faixa etária de maior prevalência é de 80 a 89 anos (28 óbitos) e de 70 a 79 anos (24 óbitos). 

Acesse e receba notícias de Chapecó e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Saúde