Check-ins auxiliam na rastreabilidade e prevenção à Covid-19 em Florianópolis

Cadastros diminuíram no transporte público e aumentaram nas academias; manter protocolos de segurança é fundamental para frear o avanço da pandemia, alertam especialistas

Após o início da vacinação de Covid-19 em Florianópolis e no país, muitas pessoas relaxaram no cumprimento dos protocolos de segurança e cumprimento das regras sanitárias. A pandemia, no entanto, ainda avança e até que toda a população esteja imunizada, é fundamental manter todos os protocolos de segurança e cuidados de prevenção ao coronavírus, alertam especialistas.

Número de check ins diminuiu nos veículos do transporte coletivo de Florianópolis em relação há alguns meses – Cristiano Andujar/PMF/Divulgação/NDNúmero de check ins diminuiu nos veículos do transporte coletivo de Florianópolis em relação há alguns meses – Cristiano Andujar/PMF/Divulgação/ND

O rastreamento por QR Code implantado em junho de 2020, é um exemplo. Quando o serviço começou e até alguns meses depois de começar as atividades, o maior número de check ins era registrado no transporte coletivo da Capital.

Hoje, houve uma queda nestes registros feitos nos ônibus. “A necessidade de manter os protocolos e a segurança, em qualquer setor, continua a mesma. Precisamos da colaboração de todos para que possamos monitorar e reduzir a contaminação pelo coronavírus na cidade”, destaca o prefeito Gean Loureiro.

De acordo com Jucelha Carvalho, CEO da startup Smart Tracking, o relatório da ferramenta que monitora os check ins e o uso do QR Code divulgado no último dia 15 mostra que, de modo geral, houve uma queda no número de check-ins non transporte coletivo, mas, por outro lado, aumentaram os cadastros em restaurantes, clinicas, hospitais e empresas privadas. “O ônibus era o principal local de check ins,  hoje as  estão à frente destes registros,  depois o setor privado, ônibus e, por último, restaurantes”, explica.

Do dia 10 de junho de 2020 até o dia 15 deste mês foram realizados, ao todo, 4.492.855 check ins e 3.578.992 check-outs, em um total de 913.863 registros para rastreio. Hoje, o sistema conta com 6.542 estabelecimentos cadastrados.

No período, apontam ainda dados da Smart Tracking, foram feitos 310.256 check ins em restaurantes, 998.562 em academias, 85.698 em clínicas e hospitais, 102.457 em hotéis, 7.548 em igrejas, , 912.548 no transporte público, 137.854 em supermercados e 1.578.966 em outros ramos de atividades na Capital.

Ação individual em prol do coletivo

Ana Vidor, gerente da Vigilância Epidemiológica de Florianópolis, reforça que se registrar no check in beneficia a todos. “É importante para quem pode vir a ficar doente, porque mesmo sem ser identificada, essa pessoa permite que outras em risco possam fazer o teste, para quem frequenta os lugares e pode ser contato de um caso positivo que nem conhece e o check in vai permitir que elas sejam avisadas de que foram colocadas em risco. Com isso essas pessoas podem ser cuidadas e, se for o caso, podem fazer o teste”, explica.

Ana acrescenta que a iniciativa também proporciona vantagens aos proprietários e trabalhadores dos estabelecimentos. “Se for identificado algum caso positivo, os funcionários poderão se ser protegidos e realizar o testes. Quanto mais pessoas fizerem os check ins, mais fácil será para a gente identificar quem está em risco e avisá-los para que tomem os cuidados necessários. Lembrando que o check in é completamente sigiloso, os dados de quem fica doente e dos contatos não são revelados para ninguém, nem para a Vigilância, só recebemos os códigos. É um jeito anônimo de ajudar todo mundo na sociedade”, enfatiza.

Aumentaram os cadastros em restaurantes, clinicas, hospitais e empresas privadas. – Foto: Bruno Nass/Beiramar Shopping/Divulgação/NDAumentaram os cadastros em restaurantes, clinicas, hospitais e empresas privadas. – Foto: Bruno Nass/Beiramar Shopping/Divulgação/ND

Aumento na rastreabilidade

Jucelha Carvalho, CEO da startup Smart Tracking, explica como a ferramenta auxilia na rastreabilidade. “Com o banco de dados aumentando, as chances de rastreamento em massa aumenta, já que os identificados positivos, que tenham feito o check in, a partir de agora, que estejam no banco de dados, terão todo o trajeto durante os 15 dias anteriores aos sintomas, podendo desta forma alertar milhares de pessoas e dezenas de locais ao mesmo tempo. Por isso é importante que o check in seja feito sempre”, esclarece.

O check in pelo usuário é opcional mas é recomendado pela administração municipal, que, orienta os usuários a realizarem o registro na plataforma toda vez que entrarem em um local que tenha o cartaz com o QR Code.

A plataforma foi desenvolvida pela Smart Tour, startup brasileira sediada em Florianópolis e todos os procedimentos estão de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados.

“É importante frisar que o uso do Smart Tracking (QR Code) não invade a privacidade do usuário e nem expõe seus dados ou dos estabelecimentos participantes. Todas as informações são criptografadas e mantidas em completo anonimato durante todo o processo, chegando, sob forma de IDs (números) até as autoridades de saúde, tornando praticamente impossível identificar quem é o usuário”, acrescenta Jucelha.

Como os estabelecimentos podem aderir à plataforma

A adesão das empresas ao sistema de check in é obrigatório e foi determinada via decreto municipal, como requisito para o retorno à atividade econômica de shoppings, academias e galerias comerciais. Aos clientes, o check in por QR Code é opcional mas é recomendada pela administração municipal, já que ajuda a rastrear contaminações e pessoas que possam ter tido contato com casos positivos para doença.

Para utilizar o check in, as empresas devem gerar um QR Code na plataforma online. Não são aceitos dados obtidos por outros QR Codes ligados à outros sistemas, que não seja o da Smart Tour, a empresa que gerencia o sistema em parceria com a Prefeitura de Florianópolis. Os estabelecimentos também devem orientar os clientes quanto à necessidade de realização do check in.

Para gerar o QR Code de Rastreamento de Contatos Smart Tracking para o estabelecimento comercial, basta acessar o link https://smarttourbrasil.com.br/smart-tracking-qrcode e preencher o cadastro com os dados solicitados. Em seguida, já é possível fazer o download do QR Code gerado. A imagem deve ser impressa colorida. Após isso, o cartaz deve ser fixado na entrada do estabelecimento.

Como fazer o check in

A administração municipal orienta que a população faça o check in em todas as vezes que entrar no ônibus, em uma loja, academia, ou qualquer outro local que tenha o QR Code. Um breve cadastro é necessário apenas na primeira vez que o registro for feito. Caso prefira, o usuário pode realizar esse cadastro antes mesmo de efetuar um check in. Basta acessar o site www.covidometrofloripa.com.br e clicar na aba “RASTREAMENTO QR CODE”. Feito isso, basta apontar a câmera no QR Code sempre que o usuário entrar em qualquer local.

Conforme determina a Lei Municipal nº 10.199, de 27 de março de 2017, a Prefeitura Municipal de Florianópolis informa que a produção deste conteúdo não teve custo, e sua veiculação custou R$2.000,00 reais neste portal.

+

Prefeitura de Florianópolis