Cidades da Grande Florianópolis oferecem preventivo gratuito de câncer de mama e colo de útero

Inca prevê para este ano mais de 2.000 novos casos de câncer em mulheres de Santa Catarina

Em 2016, devem surgir mais de 2 mil novos casos de câncer de mama e 510 de colo de útero em mulheres em Santa Catarina. Os dados fazem parte da mais recente estimativa do Inca (Instituto Nacional do Câncer), mas podem ser revertidos com o diagnóstico precoce da doença. “Em todos os tipos de câncer, quanto mais precoce for o diagnóstico, maior a chance de cura e de sobrevida. Isso faz toda a diferença”, destacou o oncologista clínico Ricardo Branco, do Cepon (Centro de Pesquisas Oncológicas), em Florianópolis.

Edson Lopes JR/Divulgação/ND

Projeto itinerante tem meta de realizar 1.152 mamografias na Grande Florianópolis

Na Grande Florianópolis, a maioria das UBSs (Unidades Básicas de Saúde) faz a coleta de material para detectar alterações no colo uterino – que em fases iniciais não possuem sintomas -, além do exame de toque da mama. Caso sejam constatadas alterações, o procedimento é encaminhar a paciente para centros especializados do município. Esse encaminhamento também vale para mulheres com idade a partir de 50 anos (alguns especialistas indicam a partir dos 35 anos), que devem realizar a mamografia – antes dessa faixa etária, pode ser solicitado o ultrassom de mamas.

“A mamografia é mais recomendada entre os 50 e 70 anos, com acompanhamento médico. No caso do papanicolau, único exame preventivo do câncer de colo de útero, deve ser feito assim que começar a vida sexual. Ambos os exames são feitos uma vez ao ano”, detalhou o oncologista, ao frisar que o câncer de mama é o primeiro da lista que mais acomete as mulheres. “Uma pesquisa do Inca estima novos 58 mil casos neste ano no Brasil. O câncer de colo de útero é o terceiro e a estimativa é de 16 mil novos casos. O segundo, assim como nos homens, é o câncer de colo retal”, observou o especialista.

Segundo Ricardo, o principal fator de risco no caso do câncer de mama é a idade, por causa da exposição hormonal durante a menopausa. “Se for uma exposição muito longa, o risco aumenta. Por isso é recomendado fazer a prevenção e o acompanhamento médico a partir dos 50 anos. Mas outros fatores também influenciam, como o excesso de álcool, a obesidade, dieta inadequada e até mesmo a genética, em alguns casos mais raros”, explicou. “O autoexame pode ajudar no diagnóstico, mas algumas lesões podem não ficar tão evidentes à mulher. Por isso, a mamografia continua sendo o principal método de prevenção”, acrescentou.

O câncer de colo de útero, por sua vez, tem o HPV, que é uma doença sexualmente transmissível, como fator de risco predominante. “Existem mais de 150 subtipos desse vírus, sendo que 40 podem provocar infecções e alguns levam ao câncer. Assim, quanto mais precoce a exposição sexual e quanto mais ela acontece, maior o risco”, observou o oncologista, ao destacar que, nesse caso, o exame preventivo é a única maneira de diagnosticar a doença. “O único método é o papanicolau, que é capaz de identificar qualquer alteração que pode levar a um câncer”, frisou.

Embora os exames preventivos sejam disponibilizados na rede pública de saúde, ainda existem mulheres que não adotam essa prática na rotina. “Os principais motivos são a desinformação e a falta de acesso a equipamentos e profissionais. Aqui no Sul não notamos muito isso, mas em outras regiões é grande o número de pacientes que não conseguem fazer os exames pela falta de mamógrafos e de médicos. Fora isso, pelo fato do papanicolau ser um exame mais invasivo, a timidez também pode contribuir”, comentou o especialista.

Unidade móvel realiza exames gratuitos

Um projeto do Sesc, denominado Sesc Saúde Mulher, chegou a Santa Catarina em 15 de fevereiro para percorrer municípios e realizar exames preventivos. A primeira parada é em Biguaçu, onde o serviço fica disponível até 15 de abril, no estacionamento da Secretaria Municipal de Saúde – a meta é realizar 2.400 exames de prevenção, sendo 1.152 mamografias e 1.248 papanicolaus. A instituição ainda não divulgou a próxima parada.

A unidade móvel é composta por hall de entrada, sala para consulta ginecológica e coleta de material para exame papanicolau, sala de mamografia com mamógrafo digital e banheiro. Na parte externa há uma tenda para recepção e ações educativas em saúde, sobre temas relacionados ao bem-estar feminino, como direitos sexuais e reprodutivos, mortalidade materna, planejamento familiar, violência doméstica, entre outros.

As mulheres interessadas em realizar os exames devem comparecer às UBSs do município para fazer a marcação, com cópia da carteira de identidade, cópia do comprovante de residência e cartão do SUS. Os exames de mamografia ocorrem de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 16h30. Os de colo de útero (papanicolau), por sua vez, das 9h às 13h e das 14h às 16h30.

Exames preventivos na Grande Florianópolis

Florianópolis – 49 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) realizam exames preventivos para câncer de colo de útero e mama (toque).

Palhoça – 22 UBSs realizam exames preventivos para câncer de colo de útero e mama (toque).

Biguaçu – 18 UBSs realizam exames preventivos para câncer de colo de útero e mama (toque).

São José – 19 UBSs realizam exames preventivos para câncer de colo de útero e mama (toque).

O que: Sesc Saúde Mulher
Período: 15 de fevereiro a 15 de abril
Local: estacionamento da Secretaria Municipal de Saúde de Biguaçu – rua Emídio Amorim Veríssimo, nº 114, bairro Praia João Rosa – Biguaçu

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...