Com 173 focos, Chapecó enfrenta infestação do mosquito Aedes Aegypti

Município ainda não registrou nenhum caso confirmado de dengue em 2020; foram 13 notificações descartadas e sete ainda aguardam o diagnóstico

Dados da Vigilância Ambiental afirmam que Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, enfrenta uma infestação do mosquito Aedes Aegypti. São 173 focos do inseto distribuídos em 30 bairros do município.

Bairro Boa Vista possui o maior número de focos do mosquito – Foto: Willian Ricardo/NDBairro Boa Vista possui o maior número de focos do mosquito – Foto: Willian Ricardo/ND

Os três principais bairros com o focos do mosquito são: Boa Vista (21), Centro (19) e São Cristóvão (15). 

“Estamos na lista dos 100 municípios infestados em Santa Catarina. O número é menor se comparado a 2019, mas não deixa de ser preocupante, e precisamos continuar com as atividades para eliminar depósitos de água”, destaca Mônica Serpa, Coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Chapecó. 

O Município afirma que realiza inspeções nas localidades infestadas, com objetivo de evitar a proliferação do inseto. São 43 agentes de endemias que fiscalizam os terrenos e orientam os moradores

Mônica diz que Chapecó tem 504 pontos estratégicos, que também são vistoriados pelos profissionais. 

“Procuramos visitar os bairros a cada 60 ou 90 dias, passamos em todas as casas. Quando o morador não é encontrado, deixamos uma solicitação para que a pessoa entre em contato para agendar uma visita. Neste período, visitamos todo o município para começarmos um segundo ciclo”,  comenta Mônica.

Leia também:

Casos de dengue em Chapecó 

Em 2020, o município ainda não registrou nenhum caso de dengue. Até esta terça-feira (3) foram 20 notificações e 13 resultados negativos. Sete casos suspeitos ainda aguardam resultado de exames. A faixa etária dos pacientes é de 6 a 60 anos.

Chapecó conta com aproximadamente 240 mil habitantes – Foto: Prefeitura de Chapecó/Divulgação/NDChapecó conta com aproximadamente 240 mil habitantes – Foto: Prefeitura de Chapecó/Divulgação/ND

Em 2019, o município recebeu 324 notificações, mas somente 18 casos foram confirmados como dengue. Destes, oito autóctones e 10 importados. 

Já em 2018 foram 227 notificações, seguido por 2017 com 508, contudo, nos dois anos, todos foram descartados. 

Em 2016, o município sofreu um surto de dengue, com 3.128 notificações. Destas, 821 foram diagnosticadas como dengue, sendo 782 casos autóctones e 42 importados. 

A Coordenadora da Vigilância Epidemiológica explica que assim que a Secretária de Saúde recebe a notificação de suspeita, uma equipe de endemia inspeciona o bairro onde o paciente mora, em um raio de 300 metros da casa. 

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Saúde