Com 83% da UTI ocupada, Foz do Rio Itajaí estuda ações para evitar colapso da saúde

Depois de anúncio de toque de recolher em Chapecó, representantes dos municípios da Amfri se reúnem nesta terça (23) para discutir as próximas ações regionais

Olhando para a crise sanitária que Chapecó tem enfrentando com o colapso no sistema de saúde, é natural que as demais regiões se questionem o que é preciso fazer para evitar que o mesmo se repita.

Prefeitos da região da Amfri (Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí) devem se reunir na tarde desta terça-feira (23) para discutir as ações regionais em relação à Covid-19.

Prefeitos da Foz do Rio Itajaí discutem ações sobre a Covid-19 – Foto: Bruno Golembiewski/NDPrefeitos da Foz do Rio Itajaí discutem ações sobre a Covid-19 – Foto: Bruno Golembiewski/ND

A região da Foz do Rio Itajaí está com 83,81% dos leitos de UTI Covid ocupados. No Hospital Marieta Konder Bornhausen, em Itajaí, a ocupação está em 86,96%. No Hospital Infantil Pequeno Anjo, 16,67% dos leitos estão ocupados. Já em Balneário Camboriú, no Hospital Ruth Cardoso, 90% dos leitos estão ocupados.

Os 11 municípios da região somam 66.601 casos confirmados da doença, além de 945 mortos.

Veja o que já foi anunciado

Balneário Camboriú

O prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira (PODE), se reúne na tarde desta terça-feira (23) com o governador, Carlos Moisés, e representantes dos maiores municípios do Estado, para definir ações em relação à pandemia.

O município mantém a operação Se Cuida BC para fiscalizar aglomerações durante os finais de semana. A operação é realizada pela Fiscalização de Posturas, Guarda Municipal e Polícia Militar.

Operação Se Cuida BC fiscaliza aglomerações durante os finais de semana – Foto: Caroline Poerner/SECOM BC/DivulgaçãoOperação Se Cuida BC fiscaliza aglomerações durante os finais de semana – Foto: Caroline Poerner/SECOM BC/Divulgação

Camboriú 

Em Camboriú, cirurgias eletivas já foram suspensas no HCC (Hospital Cirúrgico de Camboriú) a partir desta terça-feira (23). O hospital também está habilitado para internação de pacientes de Covid-19, com leitos de retaguarda.

Por meio da assessoria, o município informou que qualquer decisão sobre um possível lockdown será tomada com direcionamento do governo do Estado e da Amfri.

Itajaí 

Na tarde de segunda-feira (22), o secretário de Saúde do município, Emerson Duarte, se reuniu com representantes do governo do Estado, Regional Saúde de Itajaí, Hospital Marieta Konder Bornhausen e Amfri (Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí) para avaliar a ativação de novos leitos de UTI no Complexo Madre Teresa, ala em construção do Hospital Marieta.

Navegantes

A secretária de Saúde de Navegantes, Luciane Angela Nottar Nesello, deve se reunir na tarde desta terça-feira (23) com a SES (Secretaria de Estado de Saúde) para tratar sobre questões da pandemia. 

O Hospital de Navegantes não possui leitos de UTI Covid, mas tem 20 leitos de retaguarda disponíveis para atendimento aos pacientes.

Sobre um possível lockdown, a secretaria de Saúde informou que “já vem se preparando para atender às demandas necessárias, com ações como a mudança do centro de triagem, contratação de médicos terceirizados para o Centro de Triagem, novos fluxos de testagem com atenção aos profissionais da saúde e educação e como já citado anteriormente, a ampliação dos leitos hospitalares de retaguarda”.

Acesse e receba notícias de Itajaí e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Saúde