Com mais de 3 mil casos confirmados, Joinville vive epidemia de dengue

Cidade registrou as duas primeiras mortes por dengue neste ano e acende alerta para os cuidados preventivos em relação à doença

Ano a ano, o número de casos confirmados de dengue em Joinville vem subindo e, em 2021, a doença tem se mostrado ainda mais perigosa: as primeiras duas mortes por dengue da história da cidade foram registradas neste ano em que o município já confirmou, ainda, mais de 3 mil casos.

Mais de três mil casos de dengue foram registrados em Joinville em 2021 – Foto: Secom/DivulgaçãoMais de três mil casos de dengue foram registrados em Joinville em 2021 – Foto: Secom/Divulgação

Por causa do alto número de casos confirmados, Joinville está em epidemia de dengue, com taxa de incidência de 474,5 casos por 100 mil habitantes e 87,6% dos casos autóctones do Estado.

Conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), considera-se transmissão epidêmica quando a taxa de incidência é maior de 300 casos por 100 mil habitantes, índice que Joinville já ultrapassou.

Diante da gravidade da situação, as ações foram intensificadas no município, com agentes checando denúncias e orientando a população. “A gente orienta o morador, explica o que tem que ser feito, entrega folders e vai de casa em casa fazendo isso”, diz o agente epidêmico José Henrique Copi.

Ações contra a dengue têm sido intensificadas em Joinville – Foto: Prefeitura de JoinvilleAções contra a dengue têm sido intensificadas em Joinville – Foto: Prefeitura de Joinville

Os terrenos abandonados são um grande desafio para os vizinhos, como conta a dona de casa Tânia Mara Gava, que mora no bairro Anita Garibaldi. “Quem é proprietário, morando ou não no lugar, tem que lembrar que é uma área da sua responsabilidade”, fala.

Já o secretário de Saúde de Joinville, Jean Rodrigues, alerta para a gravidade da situação. “Muitas pessoas não dão atenção para a dengue, mas é uma situação séria. Conforme vamos tendo infestações ano a ano, o próximo é sempre pior. Temos dois tipos de dengue que circulam em Joinville e a gente precisa cuidar para que não haja reinfecção”, alerta.

Segundo ele, foram comprados novos testes rápidos para o diagnóstico da dengue, que devem chegar em cerca de 60 dias, enquanto o exame tem sido mais acessível pela prefeitura.

Além das medidas tomadas pela prefeitura, os moradores também podem fazer sua parte para evitar a transmissão. Confira algumas medidas que podem ajudar:

  • Eliminar qualquer tipo de recipiente, até mesmo tampinhas de garrafa pet, que possa acumular água;
  • Não acumular lixo;
  • Tratar a água de piscinas com cloro pelo menos uma vez por semana;
  • Retirar os pratinhos debaixo dos vasos de plantas;
  • Verificar a vedação da caixa d’água;
  • Colocar tela de proteção nos ladrões e nas caixas de passagem;
  • Higienizar semanalmente os potes de alimentos dos animais com bucha;
  • Desobstruir e limpar as calhas d’água.

Desde o início deste ano, 3.323 casos de dengue foram confirmados em Joinville. Os bairros Petrópolis, Itaum e Floresta são os que mais apresentam registros.

Outro ponto de atenção é o número de focos do mosquito Aedes aegypti, que somam 6.392 ocorrências desde o início de janeiro. Os bairros Aventureiro, Costa e Silva e Boa Vista são os que foram mapeados com mais focos pela equipe da Vigilância Ambiental.

As duas mortes em Joinville acendem o alerta em todo o Estado. Além delas, há registro de apenas outros dois óbitos em Santa Catarina: os dois no Oeste, confirmados em 2016.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...