Com medo de ser intubado, paciente com coronavírus foge de hospital; VÍDEO

Equipe médica consegue alcançar o homem de 45 anos e levá-lo de volta ao Hospital Universitário de Londrina para atendimento

Que a pandemia da Covid-19 tem causado pânico e ansiedade em boa parte das pessoas, isso, infelizmente, não é novidade. Mas uma cena um tanto quanto inusitada chamou a atenção. Um homem de 45 anos que estava internado com coronavírus em estado grave no HU (Hospital Universitário) de Londrina, no Paraná, fugiu pela Avenida Robert Koch, após sofrer uma crise de ansiedade.

O sentimento aflorou devido ao medo que o paciente tinha de evoluir para uma piora no seu quadro de saúde e necessitar de intubação. O vídeo que flagrou o momento da fuga foi divulgado nesta quarta-feira (17), no Balanço Geral de Curitiba e no portal Ricmais, da RIC Record TV do Paraná. (Assista abaixo)

Nas imagens é possível ver profissionais de saúde do hospital correndo atrás do paciente. Eles conseguiram alcançá-lo e, segundo o HU, acomodaram o paciente em maca, com instalação de máscara de oxigênio e realizaram o transporte ao leito, onde o mesmo estava internado.

Em nota, o hospital informou que o paciente foi transferido da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) ao Pronto Socorro do HU no dia 16 de março (terça-feira) com o diagnóstico positivo para coronavírus.

Hospital confirmou a fuga

O HU confirmou, em nota, a fuga do paciente e informou que ele sofreu a crise de ansiedade “por estar experenciando a superlotação que enfrentamos diariamente” e porque sentiu medo e angústia em pensar que seu quadro de saúde poderia piorar.

A unidade hospitalar informou que a equipe médica avaliou prontamente o paciente, solicitou exame de imagem e ele permanece em rigorosa observação médica e multiprofissional, recebendo a terapia de medicamentos e oxigenioterapia necessárias.

Assista o momento que o paciente é levado de volta ao hospital:

“Informamos também que a psicóloga da instituição atendeu o paciente e foi convocada a esposa para realizar a visita ao mesmo e disposto um aparelho de telefone celular do paciente para videoconferência com a família”, disse o hospital em nota.

O HU salientou que vem mantendo o quadro de superlotação de 178% dos leitos, mas refirma sua missão na prestação dos cuidados em saúde com excelência.

+

Saúde